DestaqueRio Grande do Sul

Sábado é Dia D de vacinação contra a gripe

A campanha de vacinação contra a gripe terá neste sábado (4/5) o Dia D, quando mais de 1,8 mil postos de saúde estarão especialmente abertos para a imunização. Desde o início, em 10 abril, cerca de 1,2 milhão de pessoas já foram vacinadas contra a influenza no Rio Grande do Sul. Ao todo, são mais de 3,8 milhões de pessoas no Estado que integram os grupos aos quais as vacinas são destinadas.

Publicidade

Grupos prioritários para a vacinação:
– Crianças (maiores de seis meses e menores de seis anos)
– Gestantes (em qualquer período de gestação)
– Puérperas (mulheres até 45 dias após o parto)
– Trabalhador da saúde
– Pessoas com 60 anos ou mais
– Professores
– Policiais, bombeiros e militares
– Doentes crônicos (doenças crônicas respiratórias, cardíacas, renais, neurológicas ou hepáticas, diabetes, imunossupressão, obesidade, transplantados ou pessoas com trissomias)

Todas as pessoas que integram os grupos prioritários devem fazer a vacina contra a gripe antes da chegada do inverno. A orientação se dá em virtude do tempo que leva para que os anticorpos gerem a proteção necessária. Conforme a Sociedade Brasileira de Imunizações, para a dose começar a ser efetiva, são necessários em torno de 15 dias após a aplicação, enquanto o maior efeito chega cerca de um mês após a aplicação.

Em alguns grupos com imunidade mais frágil, como em idosos, esse período até que a vacine passa a proteger pode levar ainda mais, chegando a cinco ou seis semanas. As condições do inverno favorecem a proliferação dos vírus da gripe no ambiente. Com as temperaturas mais baixas, as pessoas permanecem mais tempo em locais fechados e pouco arejados, o que facilita a transmissão de pessoa para pessoa através de tosse ou espirros. O vírus da influenza também fica mais tempo em suspensão no ar com o clima frio e seco, característico do inverno.

Casos graves

Em populações com o sistema imunológico mais fragilizado, como os idosos e crianças, a vacina da gripe (assim como as demais) apresenta uma eficácia reduzida quanto a proteção à infecção. Contudo, segundo o Ministério da Saúde, a vacinação contra a gripe pode reduzir em até 45% o número de hospitalizações por pneumonias, em 75% a mortalidade global e em, aproximadamente, 50% as doenças relacionadas à influenza.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar

Seu navegador está bloqueando os anúncios deste site.

Todo o conteúdo deste portal é 100% gratuito. Os anúncios que exibimos é a forma de manter este veículo de informação independente e comprometido somente com você leitor.