DestaqueSaúde

Dicas para uma festa junina saudável

Com o início da temporada das festas juninas por todo o país, aumenta a expectativa de consumir as famosas comidinhas típicas. No entanto, nem sempre esses pratos tradicionais são saudáveis, é o que revela a nutricionista Cintya Bassi, do Grupo São Cristóvão Saúde. Ela explica que é preciso ter atenção aos ingredientes e à forma como são preparados se quiser curtir as festas sem culpa e sem prejudicar a saúde. “A ideia não é proibir este ou aquele alimento, mas sim tentar priorizar aqueles que são mais benéficos, com mais nutrientes, e reduzir os que não fazem bem”, comenta. Além disso, algumas substituições simples podem tornar o quitute mais saudável. Para ajudar, a especialista criou uma lista, indicando qual a melhor maneira de aproveitar cada alimento.

  1. Milho

A melhor maneira de consumir o milho é na forma in natura, na espiga mesmo, com pouco de sal. Ele é rico em carboidratos e outros nutrientes, como fibras e as vitaminas B1, B2 e E, além de possuir dois importantes antioxidantes que contribuem para a saúde da visão, zeaxantina e luteína.

Publicidade

O milho, assim como os alimentos típicos derivados dele, se tornam mais benéficos quando são consumidos com baixa quantidade de sal, açúcar e gordura (ex.: margarina). A nutricionista também não recomenda o acréscimo de temperos industrializados na preparação. “Geralmente, as pessoas preparam a pipoca, por exemplo, e incluem condimentos a fim de ressaltar o sabor, porém isso eleva o teor de sódio tornando-a menos saudável”, frisa.

  • Pipoca: contém boa quantidade de fibras e Vitamina A;
  • Pamonha: fonte de fibra e de energia, mas contém um alto índice de carboidrato simples, por isso o consumo deve ser controlado;
  • Curau: alimento rico em potássio, deve ser consumido com moderação devido a quantidade de açúcar.
  • Canjica: deve ser consumida com moderação devido ao teor calórico e de açúcar, mas possui fibras que auxiliam na regulação do intestino e proteínas importante para a construção muscular.
  1. Pinhão

Segundo a Cintya, pinhão é uma opção saudável, pois o alimento contém ferro e cobre. Além disso, ele libera ácido linoleico, que aumenta a sensação de saciedade, e luteína, um antioxidante importante para a saúde ocular. Ela recomenda o consumo do pinhão assado ou cozido, preferencialmente sem temperos.

  1. Churrasquinho

Churrasco tem proteínas, zinco e ajuda a manter a saciedade. No entanto, a especialista faz um alerta: “evite o consumo de carnes com temperos artificiais e, sobretudo, de procedência desconhecida”.

Publicidade
  1. Caldos

Temperaturas baixas favorecem o consumo de caldos nas festas juninas, e a especialista recomenda as versões de legumes, verduras e grãos, como o caldo de feijão. “Eles são saudáveis por conter fibras e vitaminas, e o ideal é evitar complementar com bacon ou queijo ralado”, avisa.

  1. Paçoca e pé de moleque

A nutricionista explica que, embora feitos com amendoim, que é um alimento com muitos nutrientes, a paçoca e o pé de moleque contêm excesso de açúcar e, por isso, devem ser consumidos com moderação. Ela recomenda substituir por versões lights sempre que possível.

  1. Cachorro-quente e frituras

Muito comum nas festas juninas, os cachorros-quentes, pasteis e outras frituras devem ser evitados, segundo Cintya. “Esses alimentos contêm excesso de gorduras, sal e outras substâncias muito prejudiciais à saúde, o ideal é não consumir”, lembra.

  1. Suspiro e maria-mole

Produzidos com muito açúcar, a nutricionista afirma que esse tipo de doce não possui nada que agregue bom valor nutricional em sua composição, por essa razão recomenda evitá-los.

  1. Quentão

A bebida mais emblemática da festa junina, além de conter álcool, é bastante açucarada. A dica da nutricionista, nesse caso, é reduzir o açúcar e criar um quentão funcional utilizando chá de hibisco na sua composição.

Adaptações saborosas

Para Cintya, comidas com alto teor de açúcar e baixa qualidade nutricional, como doces em compota, suspiro, quentão e pé-de-moleque, devem ser consumidas em baixa quantidade ou substituídas por frutas.

Uma boa maneira de seguir essa recomendação é comer primeiro os alimentos considerados mais saudáveis para aumentar a saciedade e diminuir a quantia a ser consumida posteriormente dos mais prejudiciais. Além disso, é possível fazer adaptações saudáveis em algumas receitas, tornando-as menos calóricas e mais nutritivas. “Você pode substituir o açúcar refinado pelo açúcar mascavo na maçã do amor e preferir adoçantes naturais ao fazer bolos e outros doces”, sugere.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar