Saúde

Joelhos tortos em crianças

Joelhos arqueados (varo) ou em x (para dentro/ valgo) são condições comuns que se desenvolvem durante o crescimento e desenvolvimento normal da criança. Na maioria dos casos, ocorre o realinhamento natural e as crianças superarão qualquer condição. No entanto, órteses ou cirurgias podem ser necessárias para pacientes que sofrem de deformidade causada por alguma doença que ocasione uma angulação fora do padrão, por ex: raquitismo ou da doença de Blount.

Por isso, é cada vez mais importante que estejamos confiantes em nossa avaliação de uma criança que se apresenta com joelhos tortos, de modo que possamos diferenciar um alinhamento fisiológico normal de uma causa patológica em potencial.

Publicidade

Entendendo os ângulos dos joelhos
Quando uma criança em fica com os pés juntos, com os dedos dos pés apontados para a frente, e os joelhos não se tocam, ficando pernas ficam arqueadas, o termo médico é “genu varum”, em português: geno (joelho) varo – BOWLEGS.

O contrário, quando uma criança fica com as pernas juntas, os pés apontados para a frente e os joelhos se tocam, mas os tornozelos não: o termo médico é “genu valgum”, em português: geno (joelho) valgo – KNOCK-KNEE.

Crescimento e desenvolvimento em crianças
Uma preocupação comum entre pais, são os alinhamentos das pernas e joelhos das crianças, se estão normais e se o crescimento e desenvolvimento estão adequados. No entanto, apenas um número muito pequeno de crianças precisa de tratamento, caso esses ângulos estejam acentuados. Entender como as pernas de uma criança mudam à medida que crescem é importante para entender essas condições.

Publicidade

Durante o crescimento, a maioria das crianças normalmente passa por um período de crescimento onde o ângulo dos joelhos podem estar relativamente “tortos”. As alterações fisiológicas e joelhos levemente angulados não afetarão a capacidade de uma criança engatinhar, andar, correr ou brincar. Algumas crianças podem andar com os dedos apontados para dentro, tropeçar mais ou parecer mais desajeitadas do que outras crianças de sua idade e, as crianças nos extremos da curva de crescimento normal podem ter pernas ou joelhos angulados que muitas vezes parecem graves. No entanto, estes são sintomas vistos na maioria das crianças, que a criança tipicamente superará principalmente se não estão acompanhados de dor.

Atenção em caso de: Persistência de deformidades em arco após 3 anos; Separação intercondilar > 6 cm (distância entre os côndilos femorais); Deformidade assimétrica; Deformidade excessiva; Deformidade progressiva ou falta de resolução; Dor; Deformidade após um evento traumático; Altura abaixo do 5º percentil para a idade (outra deformidade esquelética-esquelética associada, Ricket’s).

Crescimento infantil e desenvolvimento normal
Acompanhamos o crescimento e desenvolvimento normal das crianças, desde a infância até aos 10 anos seguindo as seguintes diretrizes: Do nascimento (infância) até aos 18 meses, as pernas de uma criança são inicialmente abertas (varo), fazendo com que as crianças andem frequentemente com os pés afastados; 1 a 6 m e 2 a 6 m, as pernas geralmente retificam; 3 a 4 anos, as pernas da criança normalmente crescem em uma posição de joelhos para dentro(valgo); e, por fim, com 8 a 10 anos de idade, as pernas da criança voltam a no que provavelmente será o alinhamento do adulto.

Opções de tratamento
Para a grande maioria das crianças, o tratamento envolve apenas a observação (permitindo o crescimento e o tempo para corrigir as pernas) e a tranquilidade dos pais. Fisioterapia, quiropraxia, sapatos especiais, vitaminas e órteses não têm efeito sobre o desenvolvimento normal das pernas normais, mas ajudam a dar conforto.

Se o médico tiver preocupações sobre a gravidade de qualquer condição, recomenda-se um especialista ortopédico para avaliação. Geralmente, uma referência é feita se só um lado for afetado mais do que o outro, a deformidade for grave ou se houver um histórico familiar significativo. Raios-X podem ser solicitados para confirmar o diagnóstico ou para excluir outros problemas. A detecção precoce de uma criança com deformidade patológica da perna do arco provavelmente terá melhores resultados gerais para uma criança. Um histórico completo é uma das partes mais importantes de nossa avaliação. Duas condições que podem exigir tratamento incluem o raquitismo e a doença de Blount.

Raquitismo
A doença do raquitismo é um distúrbio causado pela falta de vitamina D, cálcio ou fosfato. Isso leva ao amolecimento e enfraquecimento dos ossos, e pode causar alterações ósseas principalmente nos joelhos. A doença do raquitismo é geralmente diagnosticada pelo pediatra do paciente através de exames laboratoriais ou radiografias. Embora os tratamentos conservadores sejam mais frequentemente recomendados, órtese ou cirurgia podem ser necessários, com base na gravidade do distúrbio.

Doença de Blount
A Doença de Blount é um distúrbio causado por uma placa de crescimento anormal na parte superior da tíbia. Embora a causa da doença de Blount seja desconhecida, ela pode afetar crianças e adolescentes. O tratamento da doença de Blount depende da gravidade da deformidade e da idade da criança, e pode envolver observação, órtese ou cirurgia.

Outras Causas patológicas incluem: Raquitismo nutricional e outras doenças ósseas metabólicas; Displasia esquelética; Infecção; Trauma; e Neoplasia

Leitura:
1. Heath, C.H. and L.T. Staheli, Normal limits of knee angle in white children–genu varum and genu valgum. J Pediatr Orthop, 1993. 13(2): p. 259-62.

Ana Paula Simões é Professora Instrutora da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e Mestre em Medicina, Ortopedia e Traumatologia e Especialista em Medicina e Cirurgia do Pé e Tornozelo pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. É Membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia; da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé, da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do Esporte; e da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte

Publicidade
Botão Voltar ao topo
Fechar