DestaquePorto AlegreRS

Dia Nacional do Voluntariado é comemorado pela ONG Parceiros Voluntários no Largo Glênio Perez

Celebração acontece nesta quarta-feira (28 de agosto), das 14h às 17h com oficinas, apresentações culturais e a presença de organizações sociais, escolas e voluntários.

O EVENTO – Na próxima quarta-feira (28), o país vai comemorar o Dia Nacional do Voluntariado. Este marco foi criado em 28 de agosto de 1986 por meio da Lei Nº. 7.352 com o intuito de desenvolver o espírito de solidariedade nas pessoas e convidá-las a colaborar com o desenvolvimento sustentável do planeta a partir de inúmeras ações. Em Porto Alegre, a data será festejada pela ONG Parceiros Voluntários com uma grande celebração no Largo Glênio Perez, das 14h às 17h, com a presença de voluntários, escolas, tendas com 13 organizações sociais e apresentações culturais. A abertura do DESAFIO VOLUNTÁRIO (14h) fica por conta da Fundação Pão dos Pobres, com uma apresentação musical de 10 jovens conduzidos por Claudio Baraldo. Às 16h será o momento de apreciar o grupo de Dança da Associação de Cegos do Rio Grande do Sul (ACERGS).

Ao Centro Maria Elena Johannpeter. Tribos 2018 Cred Parceiros Voluntarios - Dia Nacional do Voluntariado é comemorado pela ONG Parceiros Voluntários no Largo Glênio PerezOrganizações da Sociedade Civil que estarão presentes:

  • 1. GRUPAL – Grupo de Pacientes Artríticos de Porto Alegre
  • 2. APAEX – Associação Portoalegrense de Amor Exigente
  • 3. AGAFAPE – Associação Gaúcha de Familiares de Pacientes Esquizofrênicos
  • 4. GAV – Grupo de Aprimoramento da Vida
  • 5. ACERGS – Associação de Cegos do Rio Grande do Sul
  • 6. IMAMA – Instituto da Mama do Rio Grande do Sul
  • 7. INPRÓS – Instituto Nacional da Próstata
  • 8. ICD – Instituto da Criança Com Diabetes
  • 9. CPIP – Centro de Prevenção e Intervenção nas Psicoses
  • 10. ACOMPAR – Ação Comunitária Participativa
  • 11. CLUBE DE RECICLAGEM DO MORRO DA CRUZ
  • 12. CUIDAR JOVEM
  • 13. SEMPRE MULHER

PESQUISA IBGE 2018 – Segundo a última pesquisa divulgada pelo IBGE, em 2017 o número de pessoas que praticaram atividades voluntárias chegou a 7,4 milhões, 840 mil a mais do que em 2016. Apesar do aumento na quantidade de pessoas, a média de horas dedicadas por semana, por indivíduo, caiu de 6,7 para 6,3 horas. A pesquisa aponta que a prática do voluntariado aumentou conforme o nível educacional. Enquanto apenas 2,9% das pessoas sem instrução ou com fundamental incompleto faziam trabalho voluntário, essa proporção sobe para 8,1% daquelas com nível superior completo. A pesquisa mostrou que a ampla maioria, 91%, das pessoas que fazem trabalho voluntário era por meio de empresa, organização ou instituição. A ação individual ficou restrita aos demais 9% que praticam voluntariado.

Publicidade

ONG PARCEIROS VOLUNTÁRIOS EM NÚMEROS – Ao longo de 22 anos, a Parceiros desenvolve metodologias com soluções sistêmicas para atender demandas sociais. Para isso, atua em quatro frentes: VOLUNTARIADO: estimulando pessoas à prática do voluntariado organizado, focando a educação para a cidadania e o fortalecimento do capital social do país;ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL: oferecendo capacitação em gestão, para a transparência e prestação de contas (Accountability) confiáveis, gerando eficiência, eficácia e efetividade no atendimento aos seus propósitos;EMPRESAS: fortalecendo o relacionamento dessas organizações com a comunidade, agregando valor à sua marca, desenvolvendo competências humanas e conceituais nos colaboradores e a melhoria do clima organizacional; ESCOLAS: como parceira para o melhor atendimento dos quesitos da Lei de Diretrizes e Bases (LDB), possibilita a prática do protagonismo infanto-juvenil e da cidadania, o desenvolvimento de jovens lideranças e o empreendedorismo por meio da ação do Programa Valores na Educação e da ação Tribos nas Trilhas da Cidadania.

Sedes Rio Grande do Sul e São Paulo:
+ de 8 milhões de pessoas beneficiadas

  • — 562.856 pessoas mobilizadas
  • — 2.410 organizações atendidas
  • — 19.841 lideranças Sociais qualificadas
  • — 2.662 instituições de Ensino mobilizadas
  • — 5.648 jovens qualificados
  • — 155.300 participantes de Tribos nas Trilhas da Cidadania
  • — 3.410 educadores qualificados
  • — 2.739 empresas voluntárias
  • — 8 livros publicados

QUER SER UM VOLUNTÁRIO?

No Brasil existem mais de 820 mil organizações com as mais diversas necessidade por recursos humanos voluntários. Para você entender a importância do Voluntariado Organizado, escolher a causa que quer participar e o tempo que pode disponibilizar para ajudar o próximo, é importante participar pessoalmente de uma Reunião de Conscientização na ONG Parceiros Voluntários ou por meio digital através do site www.ongparceirosvoluntarios.org.br. Neste encontro, é fornecido todas as informações necessárias para o desenvolvimento da sua atividade voluntária, como conceitos de Responsabilidade Social Individual, as crenças que deve ter um voluntário e como funciona na prática o Trabalho Voluntário Organizado. Entre no site para buscar mais informações.

Publicidade

BENEFÍCIOS PARA O VOLUNTÁRIO

Menos estresse – Dois estudos publicados na Universidade de Buffalo, de Nova York, descobriram que o trabalho voluntário pode ajudar a diminuir os efeitos do estresse sobre a saúde. Os resultados são ainda maiores em pessoas com níveis mais altos de voluntariado, ou seja, quanto mais você pratica ações em benefício dos outros, menos chances de viver estressado.

Menor índice de uso de drogas – Em 2015, a Universidade de Oxford descobriu efeitos positivos do voluntariado para adolescentes e estudantes universitários. Esses efeitos incluem evitar comportamentos problemáticos e experiências como depressão, uso de álcool e drogas, delinquência, gravidez indesejada, obtenção de notas baixas e abandono escolar. Além disso, os voluntários adolescentes também acabam desenvolvendo hábitos positivos de responsabilidade social e são mais propensos a se envolver em suas comunidades quando adultos.

Mais felicidade – Quem garante é um estudo publicado no The Journals of Gerontology, da Universidade de Oxford, em 2005. A pesquisa mostra que o cérebro de voluntários libera mais hormônios como a dopamina e a serotonina, responsáveis pela felicidade e bem-estar.

Menor risco de morte – Um estudo de 2013 publicado na American Psychological Association aponta que, em média, o voluntariado reduz o risco de mortalidade de adultos mais maduros em 47%. O estudo também diz que pessoas mais velhas que praticam ações em prol da sociedade possuíam menos chances de morrer subitamente, mesmo que tivessem a saúde impecável antes de exercer o bem.

VOLUNTARIADO EMPRESARIAL

Benefícios para a empresa

Aumento da produtividade – Colaboradores se tornam mais felizes, saudáveis e comprometidos, resultando no aumento da produtividade e redução do absenteísmo por doenças.

Valorização da marca – Melhor reputação frente aos seus clientes e sociedade, ao mesmo tempo em que sua marca tem maior valor agregado.

Atração e conservação de talentos – Colaboradores participantes são em média 16% mais engajados, permanecendo mais tempo vinculados a empresa e recomendando para amigos e familiares.

Ambiente harmonioso – Empresas que apoiam o voluntariado são percebidas como tendo um ambiente de trabalho mais agradável do que àquelas que não o fazem. Também, demonstram maior preocupação com o bem-estar dos colaboradores.

Benefícios para o funcionário

  • — Aumento do senso de pertencimento e admiração pela empresa.
  • — Desenvolvimento de competências profissionais (87%)
  • — Habilidades para trabalho em equipe (92%)
  • — Melhor gestão do tempo (86%)
  • — Fortalecimento dos relacionamentos (77%)
  • — Desenvolvimento de habilidades de liderança

Depoimentos:

“Estamos compartilhando 22 anos de experiência para construir um grande espaço de solidariedade para quem busca conhecimento, aprendizado, práticas sociais e desenvolvimento humano. Queremos ir muito mais além do voluntariado e sim contribuir para aumentar o Capital Social do Brasil, hoje em total crise de valores.” – Maria Elena Pereira Johannpeter, Fundadora e Presidente do Conselho de Administração da Parceiros Voluntários.

“Nessas duas décadas, nossa grande contribuição foi incluir a palavra ORGANIZADO no trabalho da Parceiros, buscando com isso comprometimento e resultados para as causas sociais, e também evoluir para o papel de Assessoramento, com certificação, contribuindo para profissionalizar as organizações sociais e desenvolver tecnologias sociais para serem aplicadas em escolas, empresas e outras instituições.” José Alfredo Nahas, Superintendente da Parceiros Voluntários.

“Voluntariar é entender a nossa capacidade de, com pequenos atos, mudar a vida de alguém, e é exatamente isso que fazer parte de Tribos Nas Trilhas da Cidadania me ensinou. Com o projeto, passei a ter possibilidades de, através de um olhar amoroso, fazer a diferença, plantar sementes do bem e colocar um sorriso no rosto de pessoas que eu sequer conhecia! As experiências que tive me marcaram, ajudaram no meu desenvolvimento como cidadã, e fizeram com que eu desejasse ter a prática do voluntariado como hábito. Isso se comprova com o fato de que, atualmente, mesmo já tendo me formado na escola, continuo participando de algumas ações tribeiras juntamente com o Grupo de Jovens Amor em Movimento. Ser tribeira é ter uma família que busca mudar um dia, uma vida, ou todo o mundo, através do bem. É, assim, a comprovação e o reconhecimento de que o amor e a dedicação transformam.” Maria Eduarda Cunha Pretto, 19 anos, Tribeira pelo Colégio São José, e atualmente estudante de Psicologia e Ciências Sociais.

“A pedalada da Diversidade, projeto da ACERGS (Associação de Cegos do Rio Grande do Sul) tem como propósito fundamental demonstrar que podemos sim, juntos, seguir por caminhos que reforçam a capacidade humana de colaborar uns com os outros, lembrando que é o ser diferente que nos faz únicos para alcançar objetivos também comuns e a melhoria da qualidade de vida para todos e todas.” Rafael Martins Dos Santos, coordenador do pedal da ACERGS.

Tribos 2018 Cred Parceiros Voluntários - Dia Nacional do Voluntariado é comemorado pela ONG Parceiros Voluntários no Largo Glênio Perez

Cases

Clube de Reciclagem Morro da Cruz
Responsável: Eva Fátima de Jesus
E-mail: clubedereciclagemmc@outlook.com
Endereço: Av. Comunitária 40 – morro da Cruz | Partenon

É um grupo comunitário que possui uma proposta social e ecológica dentro do Morro da Cruz. O clube tem como finalidade gerar renda para sua comunidade por meio da reciclagem de tecidos e materiais que são inutilizados e descartados pelas pessoas. Começou com Eva Fátima de Jesus Paula que trabalhava anteriormente com um grupo de avós criando e confeccionando trabalhos com retalhos. Algumas senhoras, hoje, também são modelos dos itens confeccionados, sendo chamadas de “Top-avós”. O grupo é composto por 50 pessoas (mães, crianças, adolescentes e avós).

ICD – Instituto da Criança Com Diabetes
Responsável: Maria Teresa
E-mail: icd@ghc.com.br
Endereço: Rua Álvares Cabral, 529

Assistir crianças, adolescentes e suas famílias, através de tratamento especializado e interdisciplinar, proporcionando conhecimento e acesso a recursos disponíveis para uma convivência saudável com o diabetes. Presta assistência interdisciplinar a mais de 3 mil crianças e jovens com diabetes Tipo 1 e também jovens com Tipo 2. Esse cuidado gratuito é realizado em uma infraestrutura com Hospital-Dia, Ambulatório, Programa Diário de Educação em Diabetes, Oficinas de Nutrição, Consultórios Médicos e Dentários, Centro Oftalmológico, Brinquedoteca e Hot-Line, uma linha telefônica para atendimentos as pacientes, familiares, cuidadores e educadores. Nestes 15 anos de atuação junto ao paciente, o ICD trouxe nova visão em termos de cuidado com a saúde da criança e do jovem com diabetes no Brasil.

GAV – Grupo de Aprimoramento da Vida
Responsável: Lucia da Rocha
E-mail: gav.poa@gmail.com
Endereço: Rua Veiga 1340 – Bairro Aparício Borges / Porto Alegre

O GAV teve origem nos encontros realizados por quatro amigas, desde 2007, com o objetivo de desenvolvimento pessoal, através da ferramenta do Jogo da Transformação. Os encontros trouxeram o desejo de compartilhar com outras pessoas o conhecimento derivado de suas trajetórias pessoais e profissionais, bem como o desenvolvimento pessoal e grupal que foi construído ao longo desse processo e de outros já vivenciados. Um de seus projetos é a Oficina de Reiki para Crianças: O projeto piloto Reikriando foi realizado no ano de 2016, na Escola Municipal de Ensino Fundamental Deputado Marcírio Goulart Loureiro no Campo da Tuca, através do ensino, da formação e da aplicação do Reiki. A coordenação foi realizada por Liane Jochims, mestre Reiki e integrante do Grupo de Aprimoramento da Vida – GAV, e contou com a colaboração de quatro voluntários, que auxiliaram na elaboração e exposição das aulas, bem como na confecção de materiais. O objetivo principal deste projeto foi a difusão da cultura da paz; a melhoria da qualidade de vida e bem-estar dos participantes, contribuindo, assim, nas relações interpessoais na escola, nas famílias e na comunidade em geral.

Agafape – Associação Gaúcha de Familiares de Pacientes Esquizofrênicos
Responsável: Marília Coelho Cruz
E-mail: agafape@agafape.org.br
Endereço: Rua dos Andradas, 1560, 6° Andar- Galeria Malcon Centro, Porto Alegre, RS

A AGAFAPE tem como objetivo romper com o preconceito e inserir o portador de doença mental, especialmente de síndrome de esquizofrenia, junto à sociedade. Em 1992, surgiu do engajamento de familiares a fim de unir esforços para o trabalho em prol da saúde mental. Essa iniciativa contou com o apoio e o incentivo do HCPA – Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Desde 2000 firmou acordo com a EPTC – Empresa Pública de Transportes do PMPA – para garantir o passe gratuito, na época, para o quantitativo de 800 portadores. Em abril de 2013 foi regulamentada a Lei do Passe livre para todo o portador de Esquizofrenia mediante apresentação de um laudo médico.

Acompar – Ação Comunitária Participativa
Responsável: Nerina
E-mail: contato@acompar.org
Endereço: Av. Bernadino de Oliveira Paim, 136 / Bairro Santa Rosa de Lima / Porto Alegre – RS

Tem por objetivo desenvolver um trabalho com as famílias em situação de vulnerabilidade social através dos serviços e projetos oferecidos pela instituição. A Acompar tem sua origem relacionada com a remoção de uma comunidade, conhecida como Vila Teodora, para a região Norte do município de Porto Alegre. Na ocasião, o pároco Luís Conte começou a realizar atendimento com as famílias removidas, principalmente, mulheres e crianças. Nascia então a Ação Comunitária Paroquial – em seu nome, notam-se tanto o estreito vínculo com a igreja católica, como também a participação ativa da comunidade. A Acompar se alinhou com diretrizes internacionais instituídas pela Organização das Nações Unidas – ONU, e integrou em seu Planejamento, a Agenda 2030: trata-se de um plano de ação para pessoas, para o planeta e para a prosperidade, que busca fortalecer a paz universal. Nessa direção, nossa primeira ação em 2018 sobre educação ambiental é o Projeto Tampinha Legal, que vem trazendo bons resultados, tanto sobre o impacto do plástico no meio ambiente, como na mobilização da comunidade quanto ao cuidado ambiental. Tem 21 pontos de coleta de tampinhas em Porto Alegre. A venda do material retorna para coletor; ocorre um trabalho pedagógico com as crianças e adolescentes atendidos. Ela já arrecadou 396 sacos com tampinhas, contabilizando 3072 kg.

Etiquetas
Publicidade

Artigos relacionados

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios