Caxias do SulDestaqueSerra GaúchaVariedades

Feira do Livro de Caxias do Sul atraiu mais de 290 mil pessoas

Maior evento literário da Serra Gaúcha ocorreu na Praça Dante Alighieri. Crescimento nas vendas foi de 4,71%

A Feira do Livro, que nos últimos 17 dias trouxe uma programação intensa e diversificada, encerrou a edição de número 35 neste domingo (13/10), no qual se comemora também o dia do escritor; e que nas palavras de Carlos Drummond de Andrade é: “(…) não somente uma certa maneira especial de ver as coisas, senão também uma impossibilidade de as ver de qualquer outra maneira.”

Foto: Leonardo Portella

Cerca de 400 pessoas prestigiaram o show de encerramento, que ficou por conta da dupla Rafa Gubert e Tita Sachet, junto à praça Dante Alighieri, ponto de encontro de livreiros e amantes da literatura durante as duas últimas semanas; que puderam ter acesso a atrações como: shows gratuitos, contação de histórias, sessões de autógrafos e outras tantas atividades culturais em espaços públicos da cidade.

Publicidade

A solenidade de encerramento reuniu diversas autoridades junto ao palco central, entre secretários municipais, representantes de entidades caxienses e a primeira-dama do Município, Andrea Marchetto Guerra. Ela destacou, em sua fala, o tema da Feira do Livro deste ano. “O tema ‘Você é o que você lê’ foi trabalhado diariamente e colocou em destaque os diferentes cenários que a literatura ocupa em nossas vidas e o impacto que ela nos causa”, pontuou.

Foto: Leonardo Portella

A receptividade da população, ao maior evento literário da Serra Gaúcha, se reflete nos números. Essa edição somou 64.450 mil livros comercializados, segundo a organização da Feira. O número é 4,71% maior que o registrado no ano passado, que finalizou com 61.549 mil exemplares vendidos. O público também aumentou, passando de aproximadamente 250 mil visitantes em 2018 para cerca de 290 mil neste ano.

A diretora do Departamento do Livro e da Leitura, Maria Cristina Tiburi Pisoni, comemorou o sucesso de mais uma edição da Feira e reforçou os programas desenvolvidos pela Secretaria de estímulo à leitura e a sua importância para a sociedade.

Publicidade

“Acreditamos que os eventos literários só cumprem seu objetivo quando representam a culminância e formação que o antecedem. E, nossa cidade, ao longo de sua história comprova que estamos è frente de uma discussão que ocorre há tempos entre organizadores e promotores de eventos literários. Pois, contamos com um Departamento de Livro e da Leitura e um Programa Permanente de Estímulo à Leitura (PPEL) que, há muitos anos, entendeu que a formação de leitores se dá por meio de um processo coletivo, ao reconhecer à leitura como um bem social,” assinalou.
Segundo o secretário da Cultura, Joelmir da Silva Neto, a Prefeitura não mede esforços na manutenção dos programas de estímulo à leitura, nem tampouco na realização deste grande evento literário. “Garantimos uma programação intensa, com grandes shows de abertura e encerramento, e também o transporte de mais de 30 mil crianças e jovens, onde muitos deles tiveram, pela primeira vez, contato com escritores e espaços como o teatro, a galeria e até mesmo com a feira do livro,” indicou.

O livro mais vendido nesta edição da feira, dentro da categoria Literatura Adulta, foi “Dez Quase Amores”, da escritora gaúcha Cláudia Tajes. Já na categoria Infantojuvenil, quem ganhou destaque nas vendas foi “O Pequeno Príncipe”, de Antonie de Saint-Exupery. Outros títulos como gibis, bíblias, “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, “O Livro dos Espíritos” e histórias em quadrinho também foram amplamente procurados.

Foto: Noriana Behrend

Delcio Agliardi, patrono da Feira do Livro, fez o tradicional toque da sineta e quando perguntado sobre como resumiria a Feira deste ano, disse o seguinte: “Caxias do Sul ficou mais alegre, humana e feliz a partir deste evento. A presença da diversidade de pensamento, de diferentes segmentos e da liberdade de ideias, criam condições para a sustentabilidade da cidade”, ponderou.

Se depender do médico Gustavo Toniazzo a família manterá a tradição de visitar a Feira do Livro todos os anos. “Eu sempre venho na companhia da minha esposa e dos meus filhos Pedro (11 anos) e Alice (sete anos), a Feira do Livro. Pois, acredito que esta é uma maneira positiva de estimular o gosto pela leitura, desde pequenos. Já compramos diversos livros hoje, entre eles um do Érico Veríssimo, porém, aqueles que o meu filho mais gosta são os de ficção, especialmente os de terror,” comentou.

Para o livreiro Gilmar Smiderle, que participa da Feira do Livro há quase 30 anos, os últimos dias foram de bom público e boas vendas na praça Dante Alighieri. Ele estima que comercializou mais de dois mil títulos no setor infantojuvenil, número superior ao registrado na edição do ano passado, segundo o livreiro. O comportamento do público chamou a atenção.

“Foi uma edição muito boa em vários sentidos. O clima colaborou, foram poucos dias de chuva e o público correspondeu. A maioria das pessoas que procuraram títulos levaram alguns pra casa. E nos surpreendeu positivamente que as vovós são as que mais compram, optaram por livros como presente, inclusive no Dia das Crianças”, comentou.

Lista dos livros mais vendidos

Literatura adulta:
“Dez Quase Amores”, de Cláudia Tajes;
“A Mulher Incrível”, de Alexandre Petillo;
“Os Anjos do Tempo”, de Kevin J. Anderson;
“A Sutil Arte de Ligar o Foda-se”, de Mark Manson;
“Garçom na Porta, Bar Vazio”, de Alexandre Cortez Fernandes.

Literatura infantojuvenil:
“O Pequeno Príncipe”, de Antonie de Saint-Exupery
”DuckTales: O Manual dos Exploradores Curiosos da Equipe Donald”, com direito de publicação no Brasil 2019 – Culturama, edição: Naihobi Steinmetz Rodrigues;
“As Aventureiros”, de Luccas Neto;
“Diário de um Banana”, de Jeff Kinney;
“O Instituto”, de Stephen King.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar