DestaqueSerra Gaúcha

Cidade miniatura é atração em Garibaldi

Como parte das comemorações dos 119 anos de Garibaldi, a administração municipal entregou para a comunidade garibaldense no sábado, dia 19 de outubro, a Piccola Garibaldi, totalmente restaurada e revitalizada. A cidade miniatura foi instalada na Praça Loureiro da Silva, em estrutura desenvolvida especialmente para receber as réplicas de pontos turísticos e locais do município.

O projeto visa atrair ainda mais visitantes para o Centro Histórico de Garibaldi, atualmente muito frequentado e admirado, e se tornar uma referência de atrativo no município. O local também será ponto de parada dos passeios de Tim-Tim e Giallo Tur, possibilitando o fluxo de visitantes, que poderão contemplar além da Piccola Garibaldi, a feira de artesanato que acontece na praça todos os sábados, e o comércio local.

Publicidade

Segundo o secretário de Turismo e Cultura, Paulo Salvi, com as melhorias que ocorrerão na praça, até o final deste ano, o local se tornará muito mais atraente, com iluminação e banheiros novos, tornando de fato um local de encontros e contemplação. “Estamos muito felizes por todos os investimentos, para o fortalecimento do turismo, que estão sendo realizados no nosso município. O turismo proporciona a integração e a troca cultural e está sendo um grande propulsor do desenvolvimento de Garibaldi.”, destacou o secretário.

Piccola Garibaldi

A Piccola Garibaldi, traduzida do italiano “Pequena Garibaldi” é uma réplica da cidade e do interior do município, no início do século XX, com 50m² em miniatura e movimento. As casas foram confeccionadas em madeira e por fora revestidas com papelão, também foi utilizado chumbo e material de prótese dentária. A primeira montagem ocorreu em 1986 no antigo Banco Meridional.

Publicidade

As réplicas representadas são: Aeroclube (1945), Cantina Pedrucci (1890), Casa Brugalli (1958), Casa Chesini (1976), Casa de Pedra Maison Forestier (1981), Casa Fellini (1978), Casa Koff (1905), Casa Mazzini (1921), Casa Missiaggia (1940), Casa Montemaggiore (1932), Casa Peterlongo (1924), Casa Simonaggio (1906), CTG Sentinela da Serra (1981), Ermida (1954), Esqui (1970), Estação Ferroviária (1918), Farmácia Arduíno D’Arrigo (1900), Hotel Casacurta (1953), Igreja Matriz São Pedro (1921), Moinho Bozzetto S/A (1942), Museu Municipal (1884) e o Centro Administrativo (1996). Também há a representação em movimento da barragem, onde há um pescador, de atividades agrícolas, com parreiral e criação de animais, um baile no CTG, e da Maria Fumaça, que percorre a cidade.

As réplicas foram confeccionadas por Alzira Montemaggiore Cervelin, Lourenço Cervelin e Inês Montemaggiore (in memorian), Helena Rosa Balbinot confeccionou as roupas. Os marceneiros que colaboraram foram João Balbinot e José Meneghini. A colocação, estrutura e iluminação são de responsabilidade do Nestor Rosa e Celeste Agostini.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar