DestaqueRio Grande do Sul

SAE de Passo Fundo realiza ação pelo Dia Mundial de Luta Contra a Aids

A Secretaria de Saúde de Passo Fundo, através do Serviço de Atendimento Especializado (SAE), em parceria com a Universidade de Passo Fundo (UPF), através do curso de Enfermagem, promove durante todo o mês de novembro a Campanha de Prevenção do HIV/Aids. A iniciativa é em alusão ao dia 1º de dezembro, Dia Mundial de Luta Contra a Aids.

No dia 29 de novembro será realizada uma ação na Praça Tochetto, com atendimento das 8h30 às 17h. Em caso de chuva, serão realizados testes rápidos e orientações no SAE, que fica rua Silva Jardim, 714 – Centro, das 8h às 16h30.

A ação tem como propósito conscientizar a população geral sobre a transmissão e a importância da prevenção para esta doença. Serão realizadas abordagens e orientações sobre HIV/Aids, distribuição de preservativos e ofertados testes rápidos de detecção do HIV, sífilis e hepatites B e C de forma gratuita a toda população. Outro ponto será o estímulo ao uso do preservativo, uma vez que sua distribuição será gratuita e acompanhada por folhetos educativos de forma a não apenas oferecer o meio preventivo, garantindo também as informações necessárias para seu uso correto.

PrEP e PEP: qual a diferença?
Em dezembro será iniciado no município o atendimento de PrEP, sigla para profilaxia pré-exposição. É indicada para quem não tem HIV, mas está exposto ao vírus (pessoas trans e travestis, gays e outros HSH, profissionais do sexo e parcerias sorodiferentes). Deve ser tomado todos os dias para proteger do HIV.

Já a PEP, sigla para profilaxia pós-exposição, é uma urgência. Indicada para quem pode ter sido exposto ao HIV em situações como sexo desprotegido, violência sexual e acidente de trabalho. Deve ser tomada em até 72h após a exposição ao HIV e por 28 dias.

A equipe do SAE destaca que ambas profilaxias não substituem o uso da camisinha, que além de proteger das Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), também protege contra gravidez indesejada.

Aleitamento materno
Um alerta para a campanha também é a transmissão vertical (TV) do HIV pelo aleitamento materno. Considerando a identificação de soroconversão para HIV na gestação e no aleitamento materno, é necessária a triagem do parceiro sexual, de forma a interromper a transmissão vertical nestes momentos e assegurar a proteção materna e neonatal. Ainda, também é necessária a orientação da puérpera soronegativa sobre suas vulnerabilidades e prevenção da infecção do HIV, com recomendação do uso de preservativos, para diminuir a possibilidade de infecção durante a amamentação.

A Secretaria Estadual de Saúde emitiu uma nota técnica com orientações gerais para procedimento diante do resultado positivo para HIV e/ou sífilis em pais/parceiros de gestantes/puérperas soronegativas nas maternidades públicas e privadas do estado do RS.

Em Passo Fundo, os últimos casos de criança com HIV se deu pelo aleitamento materno. Em 2019, um caso foi registrado.

Dia Mundial de Luta Contra a Aids
O Dia Mundial de Luta Contra a Aids é comemorado internacionalmente em 1 º de dezembro. Essa data tem como objetivo sensibilizar a população sobre uma das doenças que mais mata no mundo, informar sobre as formas de transmissão, a sintomatologia e os agravos à saúde, além de buscar a prevenção e combater ao preconceito sofrido pelos portadores do HIV.

Segundo o Boletim Epidemiológico HIV/Aids – 2018, a média nacional de casos notificados corresponde a 18,3 novos casos para cada 100 mil habitantes. O Rio Grande do Sul está em primeiro lugar no ranking de óbitos por HIV/Aids, com 9,0 óbitos a cada 100 mil habitantes, além de estar em segundo lugar em detecção de novos casos com 32,3% nos últimos 3 anos.

No município de Passo Fundo, os números são alarmantes: 1.200 pacientes em tratamento, sendo que o coeficiente de mortalidade corresponde a 9,5% para cada 100 mil habitantes ao ano. Ainda, até 2017 a média entre homens e mulheres era semelhante, no entanto, em 2018 o sexo masculino se destacou com 80% dos casos – desses, 60% são homossexuais e bissexuais na faixa etária de 18 a 24 anos.

Há um outro fator preocupante. No Brasil, em 2018, a sífilis foi externada como um grave problema de saúde pública. O Rio Grande do Sul tem a segunda taxa mais elevada de detecção de sífilis adquirida, sendo a taxa nacional de 58 casos por 100 mil habitantes e a estadual de 116,2 por 100 mil habitantes. Passo Fundo apresentou em 2018 um total de 614 casos notificados de sífilis na população geral e 171 casos em gestantes.

Informações
O SAE Passo Fundo fica na rua Silva Jardim, 714 – Centro. O telefone para contato é (54) 3311-7236.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo