DestaqueEsportes

UEFA sanciona City por dois anos sem jogar na Europa e € 30 milhões de multa

Castigo da exemplar da UEFA ao Manchester City. A entidade esportiva impôs medidas disciplinares ao clube inglês que o impede de participar das competições da UEFA nas próximas duas temporadas (ou seja, as campanhas 2020/21 e 2021/22), além de pagar uma multa de € 30 milhões.

A UEFA, depois de considerar todas as provas, descobriu que o Manchester City cometeu violações graves dos Regulamentos de Licenciamento de Clubes e Jogo Financeiro da UEFA, exagerando sua receita de patrocínio em suas contas e nas informações de saldo enviadas a UEFA entre 2012 e 2016.Conforme publicado na época no periódico inglês ‘The Guardian’, a UEFA denunciou o clube britânico na época por falta de transparência nas receitas de € 140 milhões de euros, por meio de patrocínios de origem duvidosa, uma vez que eram de empresas controladas por seu dono, o sheik. Mansour bin Zayed.

Depois de ouvir a notícia, o clube inglês emitiu uma declaração na qual mostrou seu desacordo com a decisão da UEFA de criticar fortemente o seguimento do processo:”Em dezembro de 2018, o investigador-chefe da UEFA antecipou publicamente o resultado e a penalidade que pretendia impor ao Manchester City, mesmo antes de iniciar qualquer tipo de investigação. O processo consequente, com defeito e constantemente vazado pela UEFA, que ele próprio supervisionou, deixou poucas dúvidas sobre qual seria o resultado final. O Clube enviou uma queixa formal ao órgão disciplinar da UEFA, que foi validada por uma decisão do TAS. Basicamente, este é um caso iniciado pela UEFA, processado pela UEFA e julgado pela UEFA. Com este processo discriminatório agora concluído, o Clube tentará obter um julgamento imparcial com a máxima velocidade possível e, portanto, em primeira instância entrará com uma ação no Tribunal de Arbitragem Esportiva o mais rápido possível “.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo