Novo Hamburgo

Prefeitura de Novo Hamburgo realiza mais de 1000 ações em dois meses

Central de Fiscalização tem parceria com a Guarda Municipal

Com a determinação de orientar, dependendo do caso notificar, e até mesmo fechar estabelecimentos que estejam em desacordo aos decretos municipais, dentro das ações de prevenção e combate ao Covid-19 em Novo Hamburgo, a Central de Fiscalização, criada no dia 17 de abril, por meio do Decreto Municipal 9212/2020, já realizou mais de 1110 ações de fiscalização em dois meses de atividade.

Publicidade

Nos 60 dias de atuação, em parceria com a Guarda Municipal (GM), foram realizadas 105 notificações e 22 autos de infração, com a realização de 22 interdições de estabelecimentos como bares, quadras de esportes e ginásios. “Estamos atentos para cumprir os Decretos Municipais, que estão regulando a atuação de nossa sociedade neste período de pandemia do Covid-19. Pedimos ao nosso munícipe que tenha consciência do momento em que vivemos e tomem medidas preventivas, como o uso público da máscara”, orienta o coordenador da Central de Fiscalização e secretário de Meio Ambiente (Semam), Udo Sarlet.

A Prefeitura já publicou os Decretos Municipais 9206, 9211, 9212, 9219 e 9234/2020, este último normatizando os procedimentos administrativos de atuação da Central, onde todos com a finalidade de atuar nas determinações sobre isolamento social e funcionamento do comércio. A Central de Fiscalização seguirá atuando contra aglomerações, incluindo praças e seus espaços como pistas de skate e canchas de basquete e futebol.

Denúncias

A população pode denunciar infrações contra as medidas dos decretos de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h, pelo fone 3097-9400 (Ouvidoria), pelo e-mail prefeituraatende@novohamburgo.rs.gov.br ou por mensagem direta pelos perfis da Prefeitura nas redes sociais: Facebook: prefeituranh/ e Instagram: prefeituranovohamburgo/

Uso de máscaras

As máscaras podem ser industrializadas ou de fabricação caseira, devendo estar perfeitamente ajustadas ao rosto e cobrir nariz e boca. Além do distanciamento social e da higiene, especialistas e autoridades concordam que o uso de máscaras figura entre fatores importantes para conter a disseminação do vírus. Vale lembrar que a recomendação de seu uso em larga escala tem como base a proteção coletiva, uma vez que muitas pessoas podem estar infectadas e serem assintomáticas. Ou seja, poderiam estar transmitindo a doença sem saberem que estão com o vírus.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar

Seu navegador está bloqueando os anúncios deste site.

Todo o conteúdo deste portal é 100% gratuito. Os anúncios que exibimos é a forma de manter este veículo de informação independente e comprometido somente com você leitor.