Publicidade
São Leopoldo

Professores estaduais recebem primeira dose contra a covid-19 em São Leopoldo

O Centro de Eventos, na avenida São Borja, foi novamente o ponto de vacinação para os professores e funcionários de escolas que vieram buscar a primeira dose contra o coronavírus. Cerca de 200 trabalhadores de 1ª a 5ª série da rede estadual compareceram ao local. As filas andaram com rapidez por conta da quantidade de guichês e da listra prévia enviada pela Secretaria da Educação.

Superintendente da Escola Haydee Restirolla, no bairro Feitoria, a professora Lediane Garcia Lucena, 38 anos, foi uma das primeiras a chegar. ´”É um alento para nós, ainda mais com a pressão pela volta as aulas. A gente não sabe como vai ser o retorno, se haverá condições. Por isso a vacina se faz ainda mais importante”, destacou. Lediane foi a primeira do seu núcleo familiar a ser imunizada. Ela é casada e tem uma filha de dois anos. “Por tudo isso, fico mais tranquila. Mas seguirei mantendo os cuidados”, acrescentou.

Fotos: Romeu Finato /Scom/PMSL

Situação parecida com a professora Carola Freire Saraiva, 33 anos, supervisora do Instituto Pedro Schneider. Seu namorado trabalha no comércio e ainda não foi vacinado. “Eu estando imunizada já protejo ele. Também acabo tendo contato com pais e alunos que entregam trabalhos. A vacina nos traz mais segurança para nosso dia a dia”, reforçou.

Segunda dose da CoronaVac na antiga Unisinos e largo Rui Porto

Entre idas e vindas, o aposentado Bráulio Diniz, morador do bairro Jardim América, persistiu. Foi até a antiga sede da Unisinos receber a dose complementar da CoronaVac/Butantan. “Atrasou um pouco, mas isso não quer dizer, fiz a minha primeira dose dia 1º de abril e hoje de manhã fiquei sabendo que podia receber a segunda, quando cheguei aqui no Centro. Até tive que voltar em casa pra pegar minha carteirinha e não perder a oportunidade. Me sinto mais seguro, mais tranquilo, a pandemia está grande, perdi conhecidos, parentes, não foi e nem está sendo fácil”, ressaltou.

Juvenil Antônio, 64 anos, residente do bairro Santo André manifestou gratidão pela chegada do tão sonhado momento. “Agradeço a secretaria de saúde pela oportunidade de poder me vacinar, muita gente está morrendo, é perigoso, então só tenho a agradecer, pela preocupação e pelo bom atendimento”.

A aplicação ocorreu das 9h ao meio-dia nos três pontos: Centro de Eventos, antiga Unisinos e largo Rui Porto. Na parte da tarde, a Secretaria da Saúde realizou um curso sobe a administração da vacina Pfeizer, que passará a ser aplicada na semana que vem.

Dona Rute recebe primeira dose após 13 dias de internação

Na unidade móvel de vacinação que vem acompanhando o calendário do ônibus da saúde, Rute Camillo Rodrigues, de 60 anos, recebeu a primeira dose da Astrazeneca. Rute esteve por 13 dias internada no Hospital Centenário, chegou a ser entubada e agora animada com a primeira dose da vacina. “É uma vitória, fui muito bem cuidada no hospital, agradeço ao Sus e a todos vocês da Prefeitura, receber essa vacina é uma vitória, agradeço muito a Deus pela minha vida”.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo