Publicidade
Agronegócio

Ultrablack se destaca no mapa de venda de sêmen

Pela primeira vez desde que passou a ser registrada no Brasil, a raça Ultrablack se destacou no ranking de venda de sêmen nacional da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia) no primeiro trimestre do ano. A raça, que já havia aparecido de forma tímida no relatório anual da Asbia de 2020, apresentou volume significativo de genética comercializada nos primeiros três meses de 2021.

Apesar de a raça ser novata no mercado de venda de sêmen, o gerente de Fomento da Associação Brasileira de Angus, Mateus Pivato, avalia o resultado desse primeiro trimestre como promissor. “A raça começou a ser desenvolvida no Brasil há apenas quatro anos e já está bem posicionada no ranking de comercialização de sêmen do país. Isso revela que a Ultrablack está sendo utilizada como mais uma opção para a pecuária nacional. E não é para menos. Esses animais são uma importante ferramenta para o aumento da produção de carne, além de terem versatilidade para se encaixarem em diversos sistemas de produção de nosso país”, afirmou. A expectativa, segundo Pivato, é que a participação da raça aumente assim que os resultados de sua utilização começarem a ser comprovados pelos criadores.

Raça pura sintética resultante do cruzamento de reprodutores Aberdeen Angus com Brangus, mantendo uma composição de no mínimo 80% de genética Angus e 20% Zebuína, a Ultrablack desponta entre criadores que buscam conciliar a demanda por qualidade de carne, heterose e adaptabilidade. Assim como exemplares Angus, os animais Ultrablack têm predisposição a serem dóceis, com aptidão materna e baixo peso ao nascer, facilitando a reprodução.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo