CanoasVale do Sinos

Hospitais de Canoas suspendem visitas devido ao aumento de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave

Devido ao crescimento do número de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave, relacionados tanto ao avanço da variante ômicron da Covid-19 como da Influenza A H3N2, o Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG), o Hospital Universitário de Canoas (HU) e o Hospital de Pronto Socorro Prefeito Dr. Marcos Antônio Ronchetti voltam a suspender a visitação aos pacientes internados. A medida, válida a partir desta quinta-feira (6) e por tempo indeterminado, é necessária para resguardar a saúde de toda a comunidade hospitalar.

Publicidade

No HNSG, as equipes médicas prestarão as informações sobre pacientes ao familiar responsável cadastrado, através de contato telefônico, uma vez ao dia. Apenas pacientes idosos ou com necessidades especiais poderão manter um acompanhante no hospital. Em caso de dúvidas, os familiares podem contatar o Serviço Social pelo telefone (51) 2102-1140.

No HU, as informações sobre pacientes também serão dadas por telefone, e terão direito a acompanhantes, além de idosos ou dependentes de auxílio para atividades básicas, os pacientes menores de idade. Não serão permitidos acompanhantes maiores de 60 anos, e nem poderá ingressar no hospital acompanhante com sintomas gripais.

A medida se estende ao Hospital de Pronto Socorro Prefeito Dr. Marcos Antônio Ronchetti , que, apesar de não atender pacientes com Covid-19, adota precauções para evitar contágios e surtos.

Mantenha os cuidados:

A Secretaria Municipal da Saúde reforça a importância das medidas de prevenção contra a disseminação de variantes de Covid-19 e Influenza A: uso de máscara, higiene das mãos, distanciamento social e vacinação.

Informações relevantes:

• A vacinação é uma estratégia de cuidado coletivo, sendo medida de saúde pública essencial para reduzir casos graves e diminuir risco de morte;
• Quanto menos o vírus estiver circulando, menor será o número de pessoas com sintomas e a chance de novas variantes;
• O uso da máscara é essencial para diminuir o risco de transmissão, entretanto a máscara não substitui o distanciamento físico, que deve ser de pelo menos 2 metros entre pessoas que não moram na mesma casa;
• Atividades na qual o uso de máscara não seja possível – como alimentação e tabagismo – aumentam o risco de contaminação e devem ser evitadas em público;
• O autoisolamento deve ser iniciado assim que for identificado qualquer sintoma respiratório e mantido até que seja possível excluir contaminação por Covid-19 ou outras doenças virais respiratórias.

Posts relacionados

Botão Voltar ao topo