EducaçãoNotíciasRio Grande do SulTecnologia & Inovação

Pesquisadora da UCS fala sobre os desafios para Caxias do Sul avançar no ranking de Cidades Inteligentes

Ana Cristina Fachinelli analisou a situação do município em relação às principais dimensões que definem uma Cidade Inteligente

“Soluções sustentáveis para produzir maior valor econômico e social, consumindo menos recursos”. Para a head do CityLivingLab da Universidade de Caxias do Sul (UCS, Ana Cristina Fachinelli, este é o caminho para uma Cidade Inteligente. Também professora e pesquisadora do curso de Administração da UCS, Ana Cristina foi a palestrante da RA da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC) realizada nesta segunda-feira (16).

O assunto ganhou total atenção da plateia com a apresentação dos resultados da pesquisa realizada pela equipe do CityLinving Lab da UCS sobre a situação de Caxias do Sul em relação às principais dimensões que definem uma Cidade Inteligente.

Publicidade

A pesquisa partiu dos princípios e diretrizes definidos na Carta Brasileira para Cidades Inteligentes, uma iniciativa do Ministério do Desenvolvimento Regional em que estão expressos o conceito de Cidades Inteligentes para o Brasil e uma agenda para a transformação digital das cidades brasileiras na perspectiva do desenvolvimento urbano sustentável.

Analisada sob os aspectos de Produtividade e Inovação, Habitabilidade e Bem-estar, Sustentabilidade e Acessibilidade, Governança e Planejamento, Conectividade e Inovação, a média geral da cidade de Caxias do Sul foi de 0,43, em uma escala que vai de zero a 1. “Cidade Inteligente é comprometimento, não é algo que vai acontecer por acaso. O potencial de Caxias é gigantesco, e a gente sabe como trilhar esse caminho”, refletiu Ana Cristina. De acordo com a classificação, o ranking divide as cidades em “Líderes (0,45 a 1)”, “Seguidoras (0,28 a 0,45)” e “Em desenvolvimento (0 a 0,28)”. Caxias do Sul se posicionou na pesquisa como seguidora, “quase chegando na classificação das que estão liderando”, ponderou.

Publicidade

Para a pesquisadora, o cidadão é centro de tudo. “Não vai fazer sentido todo este movimento se não for para melhorar a vida do cidadão”, reforçou. Ainda de acordo com Ana Cristina, Cidades Inteligentes são comprometidas com desenvolvimento urbano e com a transformação digital sustentável, com planejamento integrado de aspectos econômicos, ambientais e socioculturais e com letramento digital, governança e gestão colaborativa.

Ana Cristina também mencionou a pesquisa que está em andamento sobre a satisfação geral com a vida na cidade de Caxias do Sul. A proposta é, a partir da participação dos cidadãos, gerar ações para o desenvolvimento local. Até o momento foram coletados 1.007 dados. Numa escala de 1 a 7, Caxias do Sul tem hoje 5,21 de satisfação geral, considerado alto pelos valores de referência da pesquisa.

Ana Cristina Fachinelli e Celestino Oscar Loro – Fotos: Antonio Valiente

O presidente da CIC Caxias, Celestino Oscar Loro, a RA CIC desta segunda-feira abriu um espaço importante para se discutir um tema que há muito mobiliza os empresários da entidade. “Somos fãs do conceito de Cidades Inteligentes e acreditamos que devemos usar a tecnologia para melhorar a qualidade de vida dos habitantes de uma cidade e fomentar o crescimento econômico, sem abrir mão da preservação do meio ambiente”, opinou Celestino.

Via
CIC Caxias do Sul
Fonte
Marta Guerra Sfreddo
Botão Voltar ao topo