EducaçãoNotíciasPorto AlegreTecnologia & Inovação

PUCRS inaugura laboratório de eficiência energética para ar-condicionado

Laboratório é o único do Brasil capaz de realizar todas as normas de segurança ao consumidor e eficiência energética exigidas. A expansão da infraestrutura proporcionará ensaios com maior nível de acuracidade

Nesta quinta-feira (25), a PUCRS inaugurou o Laboratório de Eficiência Energética para Condicionadores de Ar, que faz parte do LABELO – um complexo de laboratórios que oferece serviços de calibração e certificação de produtos eletroeletrônicos. O novo espaço amplia a capacidade do LABELO, que desde 2003 realizava ensaios em condicionadores de ar de até 36 mil BTU/h. Agora, o laboratório pode ensaiar aparelhos de até 60 mil BTU/h, incluindo os modelos Cassete, instalados no teto.

Publicidade

O laboratório da PUCRS é o único no País que atende a todas as normas e regulamentações exigidas para os condicionadores de ar, tanto na segurança do consumidor quanto na eficiência energética. Assim, a instituição colabora com a sustentabilidade, pois os ensaios do LABELO são usados pelo Inmetro e pelo MME para garantir que os equipamentos vendidos estejam de acordo, reduzindo o impacto ambiental causado pelo consumo de energia.

Utilização inteligente de recursos

O Brasil tem um programa que informa a eficiência energética dos produtos para o consumidor, chamado Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE). O programa é baseado em normas e padrões, inclusive internacionais, mas que consideram as diferenças de temperatura nas regiões do país. O Inmetro é o órgão responsável por criar e fiscalizar os requisitos e os regulamentos técnicos para a medição da eficiência energética dos produtos. Para isso, ele conta com a ajuda de laboratórios acreditados, como o LABELO-PUCRS, que é reconhecido internacionalmente e funciona na PUCRS há mais de 50 anos.

Publicidade

O LABELO-PUCRS inaugurou recentemente um novo laboratório para ensaiar condicionadores de ar, ampliando sua capacidade e abrangência. O novo espaço permite que os fabricantes possam testar e desenvolver novos produtos, mais tecnológicos e eficientes, aumentando as oportunidades de pesquisa, desenvolvimento e inovação para o Brasil. Assim, a PUCRS contribui para a qualidade da infraestrutura energética no país, diz Israel Teixeira, Diretor do Labelo.

Os produtos ensaiados pelo LABELO-PUCRS recebem uma etiqueta de eficiência energética que informa ao consumidor o quanto eles consomem de energia. A etiqueta tem uma nota que vai de A a D, sendo A a mais eficiente e D a menos eficiente, dependendo do tipo de produto.

A eficiência energética dos condicionadores de ar é especialmente importante, pois eles representam mais de 10% do consumo de energia elétrica no mundo e tendem a aumentar sua demanda. Segundo a Agência Internacional de Energia (IEA), o consumo de energia por esses aparelhos pode dobrar até 2040. No Brasil, a situação é semelhante: a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) mostra que o consumo de energia por condicionadores de ar residenciais cresceu 237% nos últimos 12 anos.

Estrutura para apoiar a evolução do setor no Brasil

Com a iniciativa, o LABELO-PUCRS se consolida como uma das principais instituições de pesquisa e ensaios do Brasil, colaborando com a evolução da qualidade e segurança ao consumidor dos equipamentos de ar-condicionado utilizados no País. Entre os objetivos da ampliação, está também o de promover a sustentabilidade e a preservação do meio ambiente, além de levar às pessoas cada vez mais informações sobre o consumo dos aparelhos, permitindo escolhas mais racionais com relação ao consumo de energia, com impactos na economia das famílias, posto que os custos de energia são relevantes.

Novo-laboratorio-de-eficiencia-energetica---Labelo-Credito-Paulo-Nemitz-PUCRS-(1)
Foto por: Paulo Nemitz/PUCRS

Apesar do Brasil ter uma matriz elétrica majoritariamente renovável (de acordo com dados da Empresa de Pesquisa Energética, a partir de seu Boletim Energético Nacional, 83% da produção de energia elétrica no país é renovável, um dos melhores índices do mundo), o investimento em novas usinas e em infraestrutura também causa danos ambientais, além de demandar um grande volume de dinheiro público, sendo fundamental a manutenção de produtos eficientes.

“Por isso, o desenvolvimento de produtos mais eficientes para o setor é um dos grandes desafios da indústria e do desenvolvimento de políticas públicas para atingimento de metas de eficiência energética e, é claro, para reduzir o gasto financeiro em consumo de energia”, defende Israel.

A indústria da área de refrigeração, em resposta às questões de consumo energético envolvidas, tem desenvolvido novas soluções ao longo dos últimos anos. Para que os benefícios dessas novas tecnologias sejam captados em testes laboratoriais, é necessário que sejam aplicadas metodologias adequadas para a determinação da eficiência energética desses produtos.

O Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) publicou, em 2020, uma portaria em que estabeleceu uma nova metodologia para ensaios de condicionadores de ar como aplicável no Brasil, possibilitando uma validação mais precisa em novas tecnologias de condicionadores de ar. Cabe destacar que o Instituto levou em consideração, em seu documento, os estudos coordenados pelo Programa Nacional de Conservação de Energia (Procel) e executados pelo Labelo-PUCRS, sobre a internalização da métrica sazonal, que sugeriram a adoção da metodologia de ensaio presente na norma técnica internacional ISO 16358-1, além de estabelecerem propostas de temperaturas de testes, pontos de ensaio e bins de temperatura (estatísticas relacionadas ao ano climático) adequados à realidade brasileira.

Botão Voltar ao topo