AgronegócioSanta Catarina

Arroz catarinense se destaca pelos cultivares adaptados

Santa Catarina, o segundo maior produtor de arroz do Brasil, destaca-se pela alta qualidade do grão. Essa excelência é atribuída a diversos fatores, desde o modelo de cultivo e o cuidado extremo dos agricultores até o uso de sementes desenvolvidas especialmente para a região.

Os dados comprovam essa qualidade, como evidenciado pela safra recentemente finalizada, que registrou um recorde de desempenho, de acordo com análises do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa). A produtividade e o alto padrão do arroz catarinense têm se mostrado cada vez mais recorrentes, também sendo observados nos anos anteriores.

Solo

A preparação do solo desempenha um papel crucial nesse processo, sendo tão importante quanto as etapas subsequentes. Ela envolve o nivelamento adequado para a irrigação, o equilíbrio nutricional do solo e o manejo fitossanitário. Com o auxílio de técnicos, é possível monitorar esses detalhes, fazer diagnósticos e encontrar soluções quando necessário.

Além dos investimentos em inovação e tecnologia, os produtores estão cada vez mais atentos às análises de indicadores de fertilidade e outras substâncias que contribuem para a qualidade final do arroz, como os níveis de nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, enxofre, magnésio e outros micronutrientes. A parceria entre especialistas e agricultores permite a concepção de um produto de alta qualidade, evitando que pragas e doenças comprometam o cereal.

Tudo começa com as sementes, que são desenvolvidas especialmente para se adaptarem ao solo catarinense. Através de estudos realizados pela Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), são criadas variedades de arroz com máxima adaptabilidade e rendimento nas lavouras. Recentemente, a instituição lançou a sua 34ª semente, que promete resistir a temperaturas extremas, tanto altas quanto baixas.

Segundo o engenheiro agrônomo e gerente de Sementes da Cooperja, Célito Mezzari, a criação dessas sementes traz ganhos genéticos a cada lançamento, com cultivares mais resistentes a pragas e doenças. Isso resulta em vantagens em todas as etapas da produção, beneficiando também o consumidor final com um produto de maior qualidade e valor nutricional.

Além disso, outro fator que contribui para as boas características da safra catarinense é o uso de sementes certificadas. Em vez de reutilizar os grãos plantados, os produtores priorizam sementes distribuídas por empresas especializadas, reduzindo as chances de perda de qualidade e preservando as características próprias do cereal.

Pré-germinado

O modelo de cultivo adotado por quase 80% dos agricultores catarinenses, conhecido como pré-germinado, também é um diferencial marcante. Ao contrário do plantio tradicional, nesse método as sementes são inicialmente submersas em água por um período determinado e depois expostas ao sol. Apenas quando a radícula, uma pequena raiz, aparece é que os produtores as germinam nas lavouras. Esse cultivo em água previne o crescimento de ervas daninhas e, em alguns casos, permite a redução do uso de defensivos agrícolas.

Neste ano, a área plantada em Santa Catarina foi de aproximadamente 147 mil hectares, conforme relatório da Epagri. Embora seja menor em comparação com o maior estado produtor de arroz, essa limitação de espaço faz com que os agricultores tenham um cuidado especial com cada centímetro de suas lavouras. Com uma extensão mais reduzida, em média 45 hectares por produtor rural, é possível dedicar atenção intensa a todo o território.

Além disso, observa-se uma busca constante pelo aprimoramento de técnicas, por meio de capacitações, e pelo uso racional dos recursos naturais. O compromisso e a dedicação dos rizicultores são evidentes a cada ano, investindo constantemente na lavoura, utilizando sementes de qualidade e buscando assessoramento técnico.

A parceria entre os agricultores e as indústrias especializadas garante que os consumidores tenham acesso ao melhor produto possível. O presidente do Sindicato das Indústrias de Arroz de Santa Catarina (SindArroz-SC), Walmir Rampinelli, destaca que essa colaboração resulta em um arroz de extrema qualidade.

Botão Voltar ao topo