NotíciasPorto Alegre

UFRGS apresenta programação em homenagem ao Dia da Consciência Negra

Realizada de 20 de novembro a 1º de dezembro na Sala Redenção, a mostra reúne filmes que destacam a multiplicidade das pessoas pretas na frente e atrás das telas

O Dia da Consciência Negra é o ponto de partida para a mostra “Por mais corpos pretos na tela”, que ficará em cartaz entre os dias 20 de novembro e 1º de dezembro na Sala Redenção. A programação busca evidenciar a pluralidade de manifestações da cultura afro-brasileira, destacando diferentes experiências, vivências, trajetórias e processos artísticos.

Publicidade

Em parceria com o Núcleo de Estudos Africanos, Afro-Brasileiros e Indígenas (Neabi) da UFRGS, a Sala Redenção promove duas sessões comentadas, abordando a temática das comunidades quilombolas. Na terça-feira, 21 de novembro, às 16h, haverá a projeção de “Eu, nós…elas quilombolas”, seguida de um bate-papo com profissionais das áreas de Saúde Coletiva e de Desenvolvimento Rural, além da equipe de produção do documentário. Na quarta, dia 22, no mesmo horário, será exibido o curta-metragem “Quilombo da família Silva”, acompanhado de comentários do diretor do filme Sérgio Valentim e de representantes de quilombos de Porto Alegre.

Para celebrar os eventos realizados por e para pessoas pretas, a mostra apresenta também as produções premiadas na última edição do Festival de Cinema Negro em Ação. A programação reúne as produções vencedoras das categorias Longa-Metragem (“Genocídio e movimento”), Videoclipe (“Dorme Pretinho” – Lia de Itamaracá), Curta-Metragem (“Procura-se bixas pretas”) e Videoarte (“Hiatos”).

Publicidade

“Por mais corpos pretos na tela” conta ainda com exibições de “Sabotage: maestro do Canão”, documentário sobre um dos mais importantes nomes do rap nacional, e “Caixa preta”, filme-ensaio que promove uma experiência sensorial por meio da “Améfrica Latina”. Por fim, a Sala Redenção promove uma sessão dedicada ao curador da mostra Nicolas Medeiros Collar. Artista videomaker Nicolas integra a equipe de produção dos dois curtas exibidos na sessão: “DesAmor” e “Feijoada Turmalina”.

Todas as sessões têm entrada franca, sem necessidade de retirada prévia de ingressos, e a Sala Redenção está localizada no Campus Centro da UFRGS, com acesso mais próximo pela Rua Engenheiro Luiz Englert, 333.

Site – ufrgs.br/difusaocultural
Instagram – @salaredencao

Programação

SABOTAGE: MAESTRO DO CANÃO

(dir. Ivan Vale Ferreira | Brasil | 2015 | 107 min)

Mauro Mateus dos Santos ficou conhecido por outro nome: Sabotage. Crescendo em meio à pobreza de SP, o músico, que se tornou lenda após sua morte, é um dos nomes mais importantes do rap nacional.

  • 22 de novembro | quarta-feira | 19h
  • 27 de novembro | segunda-feira | 16h
  • 29 de novembro | quarta-feira | 16h

CAIXA PRETA

(dir. Saskia, Bernardo Oliveira | Brasil | 2022 | 51 min)

“A Terra é apenas um lugar. Mas nem chega a ser sequer um lugar normal, pois a maior parte do Cosmos está vazia. Normal é o vasto e imenso vazio, frio e universal, a noite eterna do espaço em comparação com o qual as estrelas, os seus planetas já aparecem como algo dolorosamente raro e precioso. Se nos soltassem ao acaso dentro do Cosmos, a probabilidade de que surgíssemos no planeta ou mesmo em sua vizinhança seria inferior a uma parte de mil milhões, mil milhões, mil milhões…”

  • 21 de novembro | terça-feira | 19h
  • 30 de novembro | quinta-feira | 16h

SESSÃO DE CURTAS DO CURADOR

DESAMOR

(dir. Macário | Brasil | 2019 | 4 min)

O filme explora as complexidades do amor e o poder do amor próprio. A história segue as experiências de uma pessoa queer preta que vive na Bahia, enquanto navega suas paixões, conflitos pessoais e crescimento.

FEIJOADA TURMALINA

(dir. Coletivo Turmalina | Brasil | 2019 | 37 min)

Documentário que aborda o processo de residência artística de seis jovens artistas negros que residem em Porto Alegre e na Região Metropolitana. A vivência de cerca de dez meses proporcionada pelo Coletivo Turmalina e financiada pelo Edital Natura Musical 2021 ofereceu oficinas de produção musical, mixagem, audiovisual e produção executiva.

  • 23 de novembro | quinta-feira | 16h
  • 28 de novembro | terça-feira | 19h

SESSÕES DOS PREMIADOS DO CINEMA NEGRO EM AÇÃO 2022

CATEGORIA LONGA-METRAGEM

GENOCÍDIO E MOVIMENTO

(dir. Andreia Beatriz, Hamilton Borges e Luis Carlos de Alencar | Brasil | 2022 | 60 min)

A montagem de um solo performático, o estouro da revolta, o clamor coletivo das marchas. Arte, organização e raiva contra o genocídio do povo negro. Um manifesto audiovisual gravado entre 2008 e 2016, em Salvador e no Rio de Janeiro.

  • 20 de novembro | segunda-feira | 16h
  • 24 de novembro | sexta-feira | 19h
  • 1º de dezembro | sexta-feira | 16h

CATEGORIAS VIDEOCLIPE, CURTA-METRAGEM E VIDEOARTE

DORME PRETINHO – LIA DE ITAMARACÁ

(dir. Lia Letícia | Brasil | 2022 | 8 min)

Um recorte poético da infância de Lia com sua mãe, Matildes. A partir dessas memórias, o clipe navega pelo ofício das mulheres marisqueiras.

PROCURA-SE BIXAS PRETAS

(dir. Vinicius Eliziario | Brasil | 2022 | 25 min)

Durante a audição de um teste de elenco, concorrentes realizam um monólogo em que contam as vivências sobre afeto e identidade de duas personagens. Contudo, a cena entregue sobre Darnley e Tigrezza se entrelaça com suas próprias vivências, criando uma linha tênue entre ficção e realidade.

HIATOS

(dir. Marcela Coêlho | Brasil | 2022 | 7 min)

Vídeo-performance que trata da melancolia como uma ferida colonial aberta, revelando olhares para o tempo, ancestralidade, corpo e morte que se misturam em caminhos de transcendência possíveis para esse estado de apatia coletiva.

  • 20 de novembro | segunda-feira | 19h
  • 24 de novembro | sexta-feira | 16h
  • 28 de novembro | terça-feira | 16h

SESSÕES EM PARCERIA COM O NEABI

EU, NÓS… ELAS QUILOMBOLAS

(dir. Ricardo Lubisco, Shandler Guterres, Tatiana Engel Gerhardt | Brasil | 2022 | 78 min)

No Brasil, diante da omissão do governo federal, fundamentada na necropolítica e no negacionismo, a falta de informações levou as comunidades quilombolas a se responsabilizarem pela construção das listas de aptos a receberem a vacina. O documentário dá visibilidade às mulheres que, movidas pela ancestralidade, memórias e relações, aliam coragem e afeto para superar o desafio.

  • 21 de novembro | terça-feira | 16h – Seguida de conversa com Tatiana Gerhardt, Roberto Amorin, Tainá Suppi e Patrícia Gonçalves, além de representantes de quilombos de Porto Alegre e da equipe de produção do documentário
  • 27 de novembro | segunda-feira | 19h

QUILOMBO DA FAMÍLIA SILVA

dir. Sérgio Valentim | Brasil | 2012 | 14 min

Documentário que conta a história do primeiro quilombo urbano reconhecido e titulado do Brasil, localizado em uma área nobre, próximo ao Centro de Porto Alegre. A resistência desse povo evoca os antepassados que lutaram pela liberdade e que hoje lutam por seus direitos e pelas terras que habitam há quase cem anos.

  • 22 de novembro | quarta-feira | 16h – Seguida de conversa com Sérgio Valentim, Sandro Lemos, Ana da Silva, Onir de Araújo e Tânia Dutra

Botão Voltar ao topo