Saúde

Entidades apontam os reais impactos do álcool na alimentação e nutrição

Temporada de festas aumenta a ingestão de bebida alcoólica. E o ganho de peso não é a única consequência

O aumento do consumo de bebida alcoólica nessa época de festas é motivo de muitas dúvidas nos consultórios dos nutricionistas. Se, por um lado, o grande interesse de boa parte dos pacientes está relacionado à ingestão de bebidas alcoólicas e ganho de peso, é também preciso alertar para outros efeitos do álcool, muitas vezes desconhecidos.

Para desmistificar o assunto e chamar a atenção da população sobre esses impactos, a Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição (SBAN) e o CISA – Centro de Informações sobre Saúde e Álcool apontam os principais mitos e verdades a respeito do tema:

Publicidade

É melhor beber de estômago vazio para “economizar” calorias

MITO: essa é uma estratégia perigosa e alimentar-se antes de beber é fundamental para reduzir os efeitos negativos do álcool. O alimento impede que o álcool passe rapidamente do estômago para o intestino, onde é absorvido. Ingerir bebida alcoólica com o estômago cheio retarda a absorção do álcool e, por consequência, desacelera a concentração alcoólica no sangue (CAS). Para quem está preocupado com a balança, a orientação da presidente da SBAN, Sueli Longo, é manter as escolhas alimentares saudáveis, ou seja, evitar os alimentos com maior teor de gordura, açúcar e sal.

Outro alerta importante do CISA é sobre a prática de restringir a dieta para “poupar” calorias para que se possa beber. Em casos críticos, isso pode levar ao quadro de “drunkorexia”, a sobreposição do consumo nocivo de álcool com tendências a transtornos alimentares.

Publicidade

Bebidas alcoólicas podem acelerar a desidratação

VERDADE: o álcool inibe a vasopressina, ou hormônio antidiurético (ADH), que é responsável pela regulação da quantidade de água eliminada pelo organismo. Dessa forma, a capacidade de manter a quantidade certa de água no corpo é afetada, intensificando a produção de urina e perda de líquidos pelo corpo à medida que a ingestão de álcool aumenta. Por isso, é essencial hidratar-se, especialmente durante e após o consumo de álcool. A presidente da SBAN lembra que a hidratação adequada é parte importante de um hábito alimentar saudável.

Beber engorda e me faz comer além do que tinha planejado

VERDADE: uma grama de álcool puro fornece 7 calorias, sendo que cada dose de bebida alcoólica (uma lata de cerveja ou uma taça de vinho ou um shot de destilado) contém de 70 a 100 kcal. No caso de drinques que levam outros ingredientes no seu preparo, como xaropes açucarados, as calorias podem aumentar significativamente.

O álcool leva ao aumento do total de calorias ingeridas, mesmo excluindo o valor calórico da bebida. Um estudo publicado na revista científica Health Psychology mostrou que beber pode fazer com que a pessoa coma mais do que o planejado. “Isso ocorre porque o álcool age no controle inibitório, isto é, na capacidade de controlar impulsos”, explica a coordenadora do CISA, Mariana Thibes. Além disso, o beber pode vir acompanhado de petiscos gordurosos e pouco nutritivos. Por isso, cuidado também com os acompanhamentos.

O consumo de bebida alcoólica não interfere na absorção de nutrientes

MITO: quando consumido em excesso, o álcool pode interferir na absorção de diversos nutrientes, o que traz efeitos diretos na saúde, podendo levar, em casos extremos, à desnutrição. Isso ocorre porque o fígado, um órgão fundamental para o metabolismo de substâncias e nutrientes, fica com as suas funções comprometidas devido ao excesso de álcool. O excesso de álcool também pode alterar a microbiota intestinal, e aumentar a permeabilidade do intestino, podendo gerar inflamação e impactar na absorção de nutrientes.

É possível beber no período das festas sem comprometer a dieta

VERDADE: para não colocar o “projeto verão” em risco e, principalmente sua saúde, a recomendação é limitar o consumo de bebidas alcoólicas e manter um equilíbrio com alimentação e atividades físicas. Se decidir beber, o CISA orienta a seguir as três regras de ouro: intercalar com bebida não alcoólica (preferência para água), alimentar-se antes e durante o consumo e beber devagar. A SBAN também recomenda evitar estratégias que induzem a perda de peso rápida por meio de restrição/exclusão de alimentos. Hábito alimentar saudável, exercício físico regular e sono de qualidade são essenciais para o peso adequado em qualquer época do ano.

Sobre o CISA

O Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (CISA) é uma das principais referências no Brasil sobre este tema e desde sua fundação, em 2004, vem contribuindo para a conscientização, prevenção e redução do uso nocivo de bebidas alcoólicas. Qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), a instituição dedica-se ao avanço do conhecimento na área, atuando na divulgação de pesquisas e dados científicos com linguagem acessível, na produção de materiais e conteúdos educativos e no desenvolvimento de outros projetos, como a publicação “Álcool e a Saúde dos Brasileiros”, um levantamento inédito que anualmente traz análises exclusivas sobre o uso de álcool no Brasil e seu impacto na saúde da população.

Sobre a SBAN

A Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição (SBAN) é uma sociedade civil de cunho científico, sem fins lucrativos, que tem como objetivo estimular e divulgar conhecimentos no campo da alimentação e da nutrição, promovendo maior intercâmbio entre aqueles que se dedicam a esse setor de atividade, além de manter intercâmbio com associações científicas nacionais e congêneres de países estrangeiros.

Botão Voltar ao topo