Especialista tira dúvidas sobre aleitamento materno

Um dos assuntos que trazem muitas dúvidas quando o bebê chega nos braços da mãe é a amamentação, considerada importantíssima por estar diretamente ligada ao desenvolvimento da criança. A seguir, a Dra. Sandra Petit, coordenadora do Departamento de Fonoaudiologia do HSANP e especialista em aleitamento materno, fala sobre o assunto e traz algumas dicas importantes para esclarecer as principais dúvidas relacionadas a essa fase:

Compreenda a importância: por meio da amamentação o bebê recebe os anticorpos da mãe, que o protegem de doenças como diarreia, infecções e principalmente doenças respiratórias. Além de auxiliar no desenvolvimento facial, da musculatura orofacial e de aprendizagem do bebê, a amamentação diminui os riscos de asma, diabetes e obesidade, e ainda estabelece um vínculo importante entre a mãe e o filho, fundamental para o desenvolvimento psicológico da criança.

Certifique-se de que ele “está preparado”: existem bebês que não estão prontos para mamar. Isto é, o reflexo de sucção não se manifesta adequadamente, e é necessário realizar uma avaliação fonoaudiológica para verificar o que é preciso fazer para estimulá-lo a mamar adequadamente. A avaliação do frênulo lingual (conhecido como “teste da linguinha”) é muito importante para verificar se não existem limitações de movimento da língua na hora da sucção.

Posicione adequadamente: o bebê precisa ser ensinado a mamar de maneira correta, ou seja, é necessário posicioná-lo adequadamente. A dica é: a mãe deve colocar a barriga do filho voltada para a barriga dela e, então, apoiá-lo em seu braço, para que a cabeça, tronco e coluna fiquem alinhados.

Estimule até o bebê abrir toda a boca: na sequência, é importante que a mãe posicione, com a mão oposta, o bico do seio no lábio do bebê, para estimulá-lo a abrir bem a boca e conseguir pegar toda a auréola, não apenas o bico. Isso faz com que o ele sugue efetivamente, não machucando o peito materno.

Atenção aos intervalos entre as mamadas: quando o bebê é recém-nascido, o intervalo entre as mamadas não deve ultrapassar 3 horas. Ele deve mamar na hora que quiser, o que chamamos de “livre demanda do bebê”. Se ele mama pouco e logo dorme, a mãe deve despertá-lo, mexendo em seu corpinho e o estimulando a manter uma mamada mais longa, para que fique realmente saciado e durma tranquilo. O sinal de que o bebê já está satisfeito é quando ele solta o bico sozinho.

Outra dica importante é que o peito seja esvaziado durante a mamada, pois a gordura do leite que sustenta e faz o bebê ganhar peso vem no final. Esse procedimento também ajuda a manter a produção do leite materno.