Negócios

Ações internacionais são fundamentais para exportações de calçados

As exportações de calçados brasileiros têm as ações comerciais no exterior como aliadas fundamentais. No ano passado, eventos internacionais garantiram quase US$ 200 milhões, somando negócios efetivados in loco e alinhavados, 20% do total exportado pelos calçadistas nacionais. O mesmo deve se repetir em 2018. No primeiro semestre já foram realizadas cinco ações no exterior que geraram US$ 63,5 milhões em negócios efetivados e iniciados nos eventos. As ações são realizadas por meio do Brazilian Footwear, programa de apoio às exportações de calçados mantido pela Abicalçados em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

No segundo semestre deste ano serão mais oito ações internacionais: Showroom em Paris (ainda sem data), Missão Comercial Rússia (entre 6 e 8 de junho), Expo Riva Schuh/Itália (16 a 19 de junho), IFLS/Colômbia (17 a 19 de junho), Colombiamoda/Colômbia (24 a 26 de junho), FN Platform/EUA (13 a 15 de agosto), Showroom Colômbia (ainda sem data) e theMicam/Itália (16 a 19 de setembro). “O segundo semestre, por lançar coleções de primavera-verão, ponto forte da indústria calçadista nacional, acaba gerando uma expectativa positiva de incremento nas exportações”, avalia a gestora de Projetos da Abicalçados, Roberta Ramos.

Mantido desde o ano 2000, o Brazilian Footwear é o braço internacional da Abicalçados e tem auxiliado de sobremaneira na qualificação das exportações de calçados. Desde a primeira assinatura do convênio, o número de destinos passou de 99 para 150 países. “Além disso, passamos a mudar a cultura exportadora de calçados, que passou a valorizar mais o embarque de produtos com marca própria e menos o private label – quando o importador coloca a sua marca”, explica Roberta. Atualmente o Programa conta com mais de 200 empresas associadas que respondem por cerca de 80% do valor gerado pelas exportações de calçados, que alcançaram US$ 1,09 bilhão em 2017.