RS

Vigilância Epidemiológica de Farroupilha aplica mais de 24 mil doses de vacinas em 2017

Número é referente as campanhas preconizadas pelo Ministério da Saúde, além do calendário básico de vacinação das crianças.

Ao vacinar a população, diminui a incidência de determinada doença. À medida que toda a população vai sendo vacinada, os índices caem até que nenhum caso seja mais registrado, pois toda a população está protegida.

Apesar de parecer, muitas vezes, impossível proteger toda a população, a imunização tem dado resultados no Brasil e no mundo. No país, já ocorreu a erradicação da poliomielite e da varíola graças à utilização de vacinas. Além disso, segundo a Fundação Oswaldo Cruz, ocorreu a eliminação da circulação do vírus autóctone do sarampo em 2000 e da rubéola desde 2009. Outras doenças também tiveram seus casos reduzidos, como é o caso do tétano neonatal.

Publicidade

A importância da vacinação vai muito além da prevenção individual. Ao se vacinar, o cidadão está ajudando toda a comunidade a diminuir os casos de determinada doença. É primordial, portanto, que em toda consulta médica, seja ela de rotina ou de emergência, verifique-se a carteira de vacinas e oriente-se sobre as doses que estejam faltando.

E a vacinação é uma das competências do Departamento de Vigilância Epidemiológica, que tem como objetivo realizar análises que permitam o monitoramento do quadro epidemiológico do município e subsidiem a formulação, implementação e avaliação das ações de prevenção e controle de doenças e agravos, a definição de prioridades e a organização dos serviços e ações de saúde.

Em 2017, mais de 24 mil doses de vacinas foram aplicadas na população farroupilhense durante as campanhas preconizadas pelo Ministério da Saúde.

Publicidade

Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza:

As vacinas são trivalentes, ou seja, imunizam contra três tipos de vírus diferentes. A composição da vacina é recomendada anualmente pela OMS, com base nas informações recebidas de todo o mundo sobre a prevalência das cepas circulantes. Dessa forma, a cada ano a vacina da gripe muda, para proteger contra os tipos mais comuns de vírus naquela época. Somente no ano passado, em Farroupilha, 17.716 pessoas vacinadas, dividas nos grupos prioritários abaixo relacionados:

  • Idosos: 6.517
  • Gestantes: 427
  • Puérperas: 108
  • Trabalhadores de saúde: 1.041
  • Professores: 700
  • Crianças de 6 meses a < de 2 anos: 903
  • Crianças de 2 a < de 5 anos: 1.600
  • Indígenas: 80
  • Pacientes Crônicos: 2.849
  • Sem comorbidades: 3.501

Campanha Nacional de Multivacinação:

Essa campanha tem como objetivo completar esquemas de vacinação, visando atualizar a caderneta das crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade, de acordo com o calendário de vacinação.

Todas as 17 vacinas disponíveis no Calendário para as crianças foram oferecidas durante a campanha.

  • Crianças de 0 a 9 anos: 1.290 doses aplicadas
  • Adolescentes de 10 a < de 15 anos: 272 doses aplicadas

Campanha de vacinação HPV Meninos e Meningo C Meninos e Meninas na Escola:

Devem receber a vacina contra o HPV meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 15 anos incompletos. Do total de cânceres no mundo, 4,5% são causados pelo HPV. No Brasil, são estimados 16 mil casos de câncer de colo de útero por ano e 5 mil óbitos de mulheres devido à doença. Para que os adolescentes estejam devidamente protegidos contra o HPV recomenda-se um esquema de duas doses com intervalo mínimo de 6 meses entre elas.

Farroupilha foi uma das cidades pioneiras a vacinar os garotos. Por isso, algumas das faixas etárias incluídas recentemente pelo Ministério da Saúde já tinham recebido as vacinadas na campanha municipal.

Em relação à vacina contra a meningite C, é importante lembrar que, em longo prazo, vacinas conjugadas revelaram diminuição da proteção após a vacinação no período da infância. Uma nova dose dessa vacina nos adolescentes proporciona proteção direta desses grupos etários e estende a proteção a indivíduos não vacinados.

Resultado da Vacinação realizada na s Escolas e Postos de Saúde:

  • HPV Meninos: 1ª dose: 1.492 e 2ª dose: 580
  • Meningo C Meninos e Meninas: dose única: 2.135

Vacinação contra difteria e tétano e Hepatite B nas Empresas:

O trabalhador é membro de uma determinada comunidade, onde vive com seus familiares, estando exposto aos riscos lá existentes. A empresa é uma excelente alternativa para a vacinação que visa a proteger seus funcionários contra os agravos da comunidade em que vive.

Para a faixa etária usual do trabalhador, são vacinas recomendáveis (independentemente da natureza e das condições de trabalho): tétano, difteria, hepatite B. Algumas das empresas atendidas:

  • Frigorifico Chesini: Vacinado 121 funcionários
  • Frigofar: Vacinado 63 funcionários
  • Carrer Alimentos: vacinado 102 funcionários

As empresas que desejam realizar campanhas de vacinação em seus colaboram devem entrar em contato com a Vigilância Epidemiologia.

Censo de Vacinação da Febre Amarela na Área Rural:

A população rural do Estado foi vacinada contra a Febre Amarela. Essa foi uma ação de prevenção, para evitar surto como acontecia em Minas Gerais, por exemplo, na época do censo. Mas é importante ressaltar que nenhum caso foi registrado no Rio Grande do Sul.

  • Total de famílias que compareceram no censo: 799, somando 2.421 pessoas
  • Nº de pessoas vacinadas durante o censo: 486

A Vigilância Epidemiológica está localizada junto a Unidade Bacia de Saúde Centra, na Rua 13 de Maio, 533, Centro. O telefone é 54 3261-1094. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7:30 às 11:30 e das 13:00 às 17:00 horas.

 

Fotos: Adroir Fotógrafo/PMF

Etiquetas
Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar