Negócios

Apex-Brasil assina acordo de cooperação com a Invest Hong Kong

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, Apex-Brasil, assinou nesta sexta-feira, 16/3, um acordo de cooperação com a Invest Hong Kong. Participaram da cerimônia oficial o presidente da Apex-Brasil, Roberto Jaguaribe, e o diretor-geral de promoção de Investimentos da InvestHK, Stephen Phillips.

O acordo firmado entre as Agências prevê a troca de informações sobre o ambiente de investimento de forma a promover  os investimentos de Hong Kong no Brasil. A Apex-Brasil também deverá compartilhar experiências para atrair investimentos estrangeiros, bem como as melhores práticas em matéria de promoção de investimentos. O acordo prevê ainda que as agências realizem ações para incentivar as empresas locais interessadas a criar ou expandir seus negócios bilateralmente.

Hong Kong não é um mercado desconhecido para a Apex-Brasil. De acordo com a estratégia da empresa, há a previsão de participarmos de três grandes feiras na região em 2018 (Hong Kong Internacional Diamond, Gem & Pearl Show, Asia Pacif Leather Fair – MM&T, September Hong Kong Jewellery & Gem Fair), além de fazer duas missões comerciais – Frutas do Brasil Festival (em parceria com a Abrafrutas) e uma ação em parceria com a ABPA e a embaixada.  Além disso, do conjunto de 67 Projetos Setoriais da Apex-Brasil, quatro possuem Hong Kong como mercado prioritário: Associação Brasileira de Estilistas (ABEST), Associação Brasileira dos produtores Exportadores de Frutas e Derivados (ABRAFRUTAS), Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) e Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM).

Hong Kong

A Região Administrativa Especial de Hong Kong é uma área estratégica para o Brasil uma vez que uma infraestrutura moderna e um ambiente de negócios de alto nível, combinada com a proximidade geográfica com todos os principais mercados asiáticos. Além disso, Hong Kong é hoje um hub de entrada de diversos produtos brasileiros para a China Continental.

Relação bilateral

Em 2017, a corrente de comércio Brasil-Hong Kong foi de US$ 3,3 bilhões, 19,4% acima do total registrado em 2016. As exportações brasileiras para Hong Kong ano passado somaram US$ 2,7 bilhões (18,6% maior que em 2016), enquanto que as importações brasileiras de origem em Hong Kong somaram US$ 580 milhões, valor 23,4% acima das importações de 2016.

Os principais produtos exportados pelo Brasil para Hong Kong em 2017 são carne de boi in natural (US$ 1,021 bilhão – 38,1% do total), carne de frango in natura (US$ 393,4 milhões – 14,6%), outros produtos de origem animal (US$ 297,5 milhões – 11,1%), demais carnes bovinas (US$ 285,7 milhões – 10,6%) e carne de suíno in natura (US$ 220,5 milhões – 8,2%). Pelo lado das importações, destaque para aparelhos transmissores e receptores (US$ 108,7 milhões – 18,81% do total), relógios e suas partes (US$ 62,9 milhões – 10,8%),  circuitos integrados e microconjuntos eletrônicos (US$ 49,6 milhões – 8,6%), demais materiais elétricos e eletrônicos (US$ 33,4 milhões – 5,7%) e plásticos e suas obras (US$ 25,9 milhões – 4,5%).

Entre 2011 e 2016, o estoque de Investimento Brasileiro Direto (IBD) em Hong Kong aumentou de US$ 12,6 para US$ 179,1 milhões, segundo o Banco Central do Brasil (BCB). A participação percentual de Hong Kong no estoque total de Investimento Brasileiro Direto no mundo em 2016 foi de 0,05%. Em 2016, Hong Kong foi o 45º maior destino do estoque de Investimento Brasileiro Direto (IBD). Já o estoque de IED de Hong Kong no Brasil entre 2010 e 2014 aumentou 31%, passando de US$ 1,039 bilhão para US$ 1,362 bilhão. A participação de Hong Kong no estoque de Investimento Direto no Brasil foi de 0,24% em 2015.

Sobre a Invest Hong Kong

Fundada no ano 2000, a InvestHK atua como uma agência governamental, tendo surgido para fortalecer o status de Hong Kong como hub de negócios internacionais na Ásia. O principal foco da entidade é a atração e facilitação de investimentos, visando o desenvolvimento econômico local. A Agência também orienta empreendedores que queiram instalar escritórios em Hong Kong para, a partir dali, alcançar mercados vizinhos.

Artigos relacionados