Porto AlegreRSSerra Gaúcha

Idese do RS cai 0,8% em 2015 impactado pela recessão

O Índice de Desenvolvimento Socioeconômico do RS caiu 0,8% em 2015, sendo a primeira queda registrada na série histórica Estadual do Idese, iniciada em 2007. O dado foi divulgado nesta quarta-feira (21) pela Fundação de Economia e Estatística (FEE). Além do Estado, também foram disponibilizados os dados referentes aos municípios, Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes) e outras regionalizações do Estado, com informações referentes ao ano de 2015 e também a revisão de 2014.

Conforme aponta o estatístico Rafael Bernardini, coordenador do Núcleo de Indicadores Sociais da FEE, o Idese avalia a situação socioeconômica do Estado e municípios gaúchos quanto à educação, à renda e à saúde, considerando aspectos quantitativos e qualitativos do processo de desenvolvimento, e fornecendo informações para o desenho de políticas públicas específicas, de acordo com as necessidades estaduais, municipais ou da região avaliada.

Estado

O Idese do Estado do Rio Grande do Sul atingiu a marca de 0,751 em 2015, o que representa uma queda de 0,8% no índice em relação ao ano anterior. Apesar do pequeno aumento dos índices dos Blocos Saúde (0,5%) e Educação (0,2%) em 2015, a queda do Idese foi influenciada pela diminuição do Bloco Renda (-3,1%). Conforme a classificação vigente, o RS apresenta nível médio de desenvolvimento, considerando a demarcação dos níveis em alto (maior ou igual a 0,800), médio (entre 0,500 e 0,799) e baixo (abaixo de 0,499).

O Bloco Educação, praticamente estável, variou de 0,697 em 2014 para 0,698 em 2015. O maior crescimento dentre os sub-blocos ocorreu no desempenho das crianças do ensino fundamental nos testes padronizados, mas uma elevação mais robusta desse índice no Bloco foi impedida pela queda na taxa de matrícula no ensino médio.

O Bloco Renda fechou em 0,739 em 2015, queda que fez o índice retornar a patamares próximos aos de 2012. Em particular, no índice de geração de renda, um dos componentes do Bloco Renda, registrou 0,709. Esse resultado é menor do que o índice registrado em 2011 (0,710).

O Bloco Saúde apresenta comportamento relativamente estável no tempo, mas foi o Bloco que apresentou maior elevação (0,5%), passando de 0,813 para 0,817. A maior elevação dentre os componentes do Bloco foi o aumento do índice de consultas pré-natal, que passou de 0,720 em 2014 para 0,730 em 2015.

Municípios

Os dados revelam que 68 municípios obtiveram índice acima de 0,800 em 2015, sendo considerados como municípios de alto desenvolvimento socioeconômico. Isso representou queda em relação a 2014, quando mais de 90 municípios compunham o estrato superior.

Na classificação por municípios, o primeiro colocado continuou sendo o Município de Carlos Barbosa (0,879 em 2015), localizado no Corede Serra. Na segunda posição, o município de Água Santa, localizado no Corede Nordeste, obteve índice de 0,873. Em seguida na classificação, Nova Araçá, situado no Corede Serra, apresentou índice de 0,865. Para o estatístico Rafael Bernardini, não há grandes surpresas nesses resultados, uma vez que a classificação segue padrão já conhecido acerca do desenvolvimento no RS. “Os municípios das áreas de colonização em pequenas propriedades, localizados, em sua maioria, no norte e no nordeste do Estado, apresentam indicadores mais altos de desenvolvimento”, explica. Depois de Carlos Barbosa, Água Santa e Nova Araçá, os municípios mais bem colocados no Idese são, respectivamente: Aratiba, Nova Bassano, Veranópolis, Ipiranga do Sul, Garibaldi, Paraí, Bozano.

Dentre os 20 municípios gaúchos que têm mais do que 100 mil habitantes, apenas cinco apresentaram índices de alto desenvolvimento em 2015: Bento Gonçalves (0,831), Porto Alegre (0,816), Erechim (0,811), Santa Cruz do Sul (0,809) e Caxias do Sul (0,801). A última colocação no ranking dos municípios com mais de 100 mil habitantes ficou novamente com Alvorada (0,571), que também ficou em penúltimo lugar entre todos os municípios do Estado.

Coredes

Na classificação por Coredes, inverteram-se as duas primeiras posições em relação a 2014. O Corede Noroeste Colonial apresentou o maior índice (0,816), seguido de perto pelo Corede Serra (0,813) em 2015. O Corede Noroeste Colonial apresenta melhor desempenho no Bloco Educação. Por outro lado, o Corede Serra se destacou nos indicadores de saúde.

No Bloco Educação, o Corede Fronteira Noroeste apresentou o melhor desempenho com índice de 0,790 em 2015. Esse Corede novamente apresentou o mais alto índice de matrículas brutas no ensino médio (0,912), assim como obteve alto desempenho nas matrículas na pré-escola (0,947).

O Bloco Renda do Idese registrou como primeiro colocado o Corede Noroeste Colonial, com 0,826 em 2015. O segundo lugar foi ocupado pelo Corede Metropolitano do Delta do Jacuí (0,818), seguido pelo Corede Serra (0,810). Embora tenham mantido as três primeiras posições no Bloco Renda, estes Coredes apresentaram quedas substanciais de seus índices. Por fim, no Bloco Saúde, o Corede Serra continua na primeira posição (0,882 em 2015). O Corede Rio da Várzea (0,865) foi o segundo colocado, enquanto a terceira posição foi ocupada pelo Corede Norte (0,860).

Etiquetas
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios