Destaque

Sexta-feira Santa: cuidados ao escolher o peixe

 

É durante a Quaresma que os brasileiros mais consomem peixe. Neste intervalo, que em 2015 ocorre entre os dias 18 de fevereiro e 5 de abril, o consumo de pescados cresce cerca de 15% apresentando variações de acordo com a região. Para escolher um pescado de qualidade, o consumidor deve estar atento, em primeiro lugar, ao estabelecimento em que adquire o produto, pois é obrigatório o uso de luvas descartáveis por quem manuseia o alimento. O ambiente de manipulação do pescado deve estar bem higienizado, bem como os instrumentos de trabalho do peixeiro.

PESCADO FRESCO – Os peixes frescos devem possuir pele firme, bem aderida, úmida e sem a presença de manchas. Os olhos devem ser brilhantes e salientes. As escamas devem ser unidas entre si, brilhantes e fortemente aderidas à pele. As brânquias (guelras) devem possuir cor que vai do rosa ao vermelho intenso, ser brilhantes e sem viscosidade. Odor característico e não repugnante. Livre de contaminantes, como areia, pedaços de metais, plásticos, combustíveis, sabão e moscas.

PESCADO SECO – O “pescado seco” é dessecado de forma apropriada sem adição de sais. O “pescado salgado seco” é dessecado inteiro e tratado com sal (cloreto de sódio). Ele deve estar armazenado em local limpo, protegido de poeira e insetos, ausência de mofo, ovos, ou larvas de moscas, manchas escuras ou avermelhadas, limosidade superficial, amolecimento e odor desagradável.

PRODUTOS CONGELADOS – Os produtos congelados devem ser conservados sempre a temperaturas inferiores a -18ºC e resfriados abaixo de 0ºC. No caso de produtos resfriados ou congelados, preste atenção se há poças de água no freezer e a presença de produtos molhados. Esses fatores podem indicar que o freezer foi desligado ou teve a sua temperatura reduzida, o que pode comprometer a qualidade do produto, causando sua deterioração. Os peixes já fatiados e industrializados só devem ser adquiridos se estiverem carimbados com o selo do SIF (Serviço de Inspeção Federal).

PESCADO ENLATADO – O pescado em conserva é armazenado em recipientes herméticos, podendo ser vendido nas seguintes categorias:

Ao natural: é o pescado armazenado com salmoura fraca, adicionada ou não de temperos;

Em azeite ou em óleos comestíveis: é o pescado armazenado em azeite de oliva ou outro óleo comestível, adicionado ou não de temperos.

Os rótulos ou embalagens devem apresentar informações obrigatórias, como identificação da origem, prazo de validade, instruções para uso, quando necessário, o Selo de Inspeção Federal (SIF).

CUIDADO COM AS EMBALAGENS – A embalagem deve conter o nome do produto; lista de ingredientes em ordem decrescente de quantidade (o ingrediente que estiver em maior quantidade deve vir primeiro); conteúdo líquido (quantidade ou volume que o produto apresenta); identificação da origem (identificação do país ou local de produção daquele produto); identificação do lote.

PRAZO DE VALIDADE:

Deve constar na embalagem o dia e o mês para produtos com duração inferior a três meses e o mês e o ano para produtos com duração superior a três meses; instruções para o uso, quando necessário; selo do Serviço de Inspeção Federal (SIF), Serviço de Inspeção Estadual ou Municipal. No caso de produtos importados, as informações devem estar em português. Os produtores de pescado embalado devem ainda declarar a rotulagem nutricional obrigatória com as seguintes informações: valor energético, carboidratos, proteínas, gorduras totais, gorduras saturadas, gordura trans, fibra alimentar e sódio.

Posts relacionados

Botão Voltar ao topo