Variedades

XC40 On The Road chega ao trecho crucial da expedição até os Estados Unidos

A jornada de quase 18 mil km seguirá até Newport (EUA), próxima parada da Volvo Ocean Race, em um XC40 sem qualquer preparação

Dias e noites de chuvas intensas, duas travessias nos Andes, serras imensas em estradas fatigantes e o grande desafio de correr contra o tempo. Assim foi a primeira metade da expedição XC40 On The Road, que em sete dias largou de Itajaí (SC) e percorreu quase 9 mil quilômetros para chegar a Cartagena, na Colômbia, no último domingo (29).

“Mal chegamos e nosso fiel escudeiro (XC40) já foi tomar uma ducha. Pena, pois queríamos chegar em Newport com ele exatamente como partiu de Itajaí. Mas tudo bem, ele vai agradecer, afinal, o que nós três mais queremos agora é um bom banho”, comentou o piloto Cácá Clauset, líder da expedição com o novo utilitário esportivo da Volvo que busca chegar a Newport, nos Estados Unidos, junto com as embarcações que disputam a Volvo Ocean Race.

Publicidade

Com a ousada meta de cruzar metade do Peru e entrar no Equador, a equipe saiu de Chancay, ao norte de Lima, e cruzou quase 2 mil quilômetros em 30 horas de estrada para se aproximar ao máximo da fronteira com a Colômbia e, assim, seguir para Cartagena, para resolver um dos maiores obstáculos da viagem: a burocracia para atravessar o SUV sueco pelo Estreito de Darian Gap até o Panamá.

Com a travessia do XC40 acertada por navio nesta quinta-feira (3), os jornalistas Caio Salles, Israel Coifman e o piloto Cacá Clauset voltam a pegar estrada na segunda metade da viagem.

Deixando a América do Sul para trás, a expedição XC40 On The Road atravessará, a partir desse ponto, mais oito países: Panamá, Costa Rica, Nicarágua, Honduras, El Salvador, Guatemala, México e, finalmente, Estados Unidos, onde encontrarão as sete equipes que disputam a oitava etapa da regata de vela oceânica mais difícil e longa do mundo.

Publicidade

Susto na fronteira do Equador

Na entrada no Equador, o trio passou um apuro. Segundo o oficial de imigração, a equipe não poderia prosseguir porque, em sua última passagem pelo país, o piloto não tinha registrado sua saída, dois anos atrás. A multa atualizada chegava perto de US$ 200 mil. Para sorte de Cacá Clauset, o piloto portava o mesmo passaporte carimbado dessa viagem, comprovando a situação regular. Resolvido o mal-entendido, o time retomou a rota.

Etiquetas
Publicidade

Artigos relacionados

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios