ATUALDestaqueNegócios

Fiesp detecta aumento da atividade na indústria paulista em agosto

Variável emprego do Sensor ficou abaixo dos 50 pontos

O Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria de transformação paulista subiu 1,5% em agosto em relação a julho, na série com ajuste sazonal. Na série sem ajuste, o avanço foi de 5,9% no mês e no acumulado em 12 meses de 4,3%. A principal influência dessa recuperação veio da variável total de vendas reais, que subiu 6,9%, seguida por horas trabalhadas na produção (2,3%). O Nível de Utilização da Capacidade Instalada ficou praticamente estável (-0,1p.p). Os dados foram divulgados nesta sexta-feira, (28/09), pela Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp).

Segundo José Ricardo Roriz, presidente em exercício da Fiesp e do Ciesp, o atual clico de recuperação da economia brasileira é um dos mais lentos. “Ao contrário das crises anteriores em que a recuperação se dava logo em seguida, dessa vez o mercado terá dificuldades para voltar a crescer. A queda da taxa Selic, mas sem redução proporcional do spread bancário é um dos complicadores para a recuperação do investimento. O nível de utilização da capacidade instalada das empresas está muito baixo. Há dificuldade principalmente nos setores em que a matéria prima é cotada a preços internacionais. Com a volatilidade do câmbio e o aumento abrupto do dólar, as empresas que não têm poder de mercado não conseguem repassar a alta dos preços”, avaliou.

O avanço da atividade industrial paulista em agosto foi disseminado, alcançando 14 dos 20 segmentos pesquisados, com destaque para a alta de 7,1% do segmento de veículos automotores.

Sensor

A pesquisa Sensor de setembro, também produzida pelas entidades, marcou 51,3 pontos, ante os 51,9 pontos em agosto, na leitura com ajuste sazonal. A marca mantém o Sensor acima dos 50 pontos há mais de 12 meses consecutivos. Leituras acima de 50 pontos sinalizam expectativa de aumento da atividade industrial paulista para o mês.

Dos indicadores que compõem o Sensor, a variável de vendas avançou 1,7 ponto, para 55,9 pontos em setembro. O indicador de estoques subiu 1,4 ponto ante agosto (47,1 pontos), marcando 48,5 pontos no mês de setembro, o que indica que os estoques estão acima do nível desejado.

Para a variável que capta as condições de mercado, houve recuo de 2,3 pontos, passando de 52,4 pontos em agosto para 50,1 pontos no mês de setembro. Acima dos 50,0 pontos indica expectativa de melhora das condições de mercado.

Para o indicador de emprego também houve recuo depois de 13 meses consecutivos no patamar acima de 50 pontos. O indicador passou de 51,6 pontos em agosto, para 49,6 pontos em setembro. Resultados abaixo dos 50,0 pontos indicam expectativa de demissões para o mês. O indicador de investimentos permaneceu praticamente estável, passando de 54,1 pontos para 54 pontos.

Artigos relacionados