ATUALDestaqueRS

Alegrete e Uruguaiana decretam estado de calamidade pública

A chuva intensa e os ventos fortes que atingem o Rio Grande do Sul levaram à decretação de estado de calamidade pública em dois municípios: Uruguaiana e Alegrete. O mau tempo provocou alagamentos, queda de árvores e energia interrompida, além de prédios atingidos. O último balanço mostrou que 12 famílias estão desalojadas na região. O prefeito de Uruguaiana, Ronnie Mello (PP), reuniu-se com secretários para discutir a situação.

Há registros de árvores caídas bloqueando ruas e quatro prédios da sede da Secretaria de Desenvolvimento Social e Habitação que foram atingidos, e uma escola foi destelhada. O prefeito Márcio Amaral (MDB), de Alegrete, relatou inundações em decorrência da forte chuva. Com o mau tempo, o rio Ibirapuitã está acima do nível normal. A chuva acumulada chegou em 233 milímetros – a média mensal para janeiro é de 159,7 milímetros. Em Bagé, foram registrados muitos pontos de alagamento. O volume de precipitação chegou a 124 milímetros. A Defesa Civil municipal trabalha desde as primeiras horas da manhã de hoje (10) para fazer o levantamento dos pontos atingidos. O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), colocou os órgãos estaduais à disposição para auxiliar na retomada das condições de normalidade nos municípios afetados  pelas chuvas.

Segundo o chefe da Casa Militar, coronel Julio César Rocha Lopes, para socorrer os municípios, a Defesa Civil e as equipes do Corpo de Bombeiros auxiliam em serviços como a desobstrução de vias em Uruguaiana, onde choveu mais de 100 milímetros. O estado disponibilizou maquinários para as primeiras ações no município, além do envio de lonas para Bagé e Alegrete. Agbr

Artigos relacionados

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios