Negócios

BHD inicia agenda de 2019 com missão na Ásia

O time do Brazilian Health Devices, projeto setorial executado pela ABIMO em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), iniciou a agenda de 2019 com duas missões prospectivas na Ásia. Entre 7 e 9 de janeiro, a equipe esteve em Bangkok, capital tailandesa, e, na sequência, até dia 11, participou de uma intensa programação em Jacarta, na Indonésia. O objetivo dessas missões é ampliar o conhecimento do mercado, visualizando as principais oportunidades e os maiores entraves, para que as empresas apoiadas pelo projeto possam trabalhar as relações comerciais com as regiões exploradas.

Mercados-alvo do atual convênio do Brazilian Health Devices, que engloba o período 2017-2019, Tailândia e Indonésia reúnem boas oportunidades para as empresas brasileiras exportadoras de produtos e soluções para saúde. Durante esse período de prospecção, foram realizadas reuniões junto às embaixadas do Brasil em Bangkok e Jacarta, além de contatos diversos com câmaras de comércio locais, consultorias e empresas regionais dedicadas à atuação no setor de saúde.

“A Indonésia tem uma população maior que a do Brasil e não conta com uma produção local em escala relevante de artigos e dispositivos médicos, odontológicos e hospitalares. Trata-se de um mercado enorme a ser explorado pelas empresas brasileiras”, comenta Rafael Cavalcante, coordenador de acessos à mercados da ABIMO, sobre o país que tem, hoje, uma população total estimada em 251 milhões de habitantes.

Para Cavalcante, mesmo com dificuldades regulatórias e burocráticas, a Indonésia deve ser observada com relevância. “Apesar da distância geográfica e da ampla diferença cultural este é um mercado que deve permanecer em atenção”, pontua. Com grande potencial para comércio, o mercado indonésio se destaca como um dos dez mais acessados pelas empresas apoiadas pelo Brazilian Health Devices. Até 2018, quando Portugal subiu algumas posições, era a única nação fora do continente americano, a integrar o top 10 do projeto.

Já em Bangkok, que sediará a Medical Fair Thailand, evento a ser realizado em setembro e que receberá um pavilhão brasileiro montado pelo Brazilian Health Devices, o que foi observado pelo time do BHD durante essa fase de prospecção foi o amplo potencial do mercado tailandês como hub de exportações.

“Enquanto quem vem para a Indonésia foca o mercado doméstico que, por si só é gigante, quem chega à Tailândia encontra um ambiente propício para ampliar o acesso a outros mercados da Ásia”, explica o coordenador da ABIMO ao mencionar que o mercado tailandês é competitivo, tem bastante concorrência e mesmo assim continua muito atrativo. “A Tailândia tem a vantagem de se posicionar em menor grau como concorrente direta da produção brasileira, diferentemente, em certa medida, da Malásia, por exemplo”, finaliza.

O próximo passo do Brazilian Health Devices para a aproximação entre a cadeia produtiva de saúde do Brasil e os mercados da Indonésia e da Tailândia se dará pelas missões comerciais planejadas para o período entre 4 e 10 de setembro. Na ocasião, serão realizadas apresentações locais sobre cada um dos países, além de reuniões junto a líderes regionais e rodadas de negócios. Há a expectativa, também, da realização de visitas externas a instituições e distribuidores. Na sequência, entre 11 e 13 de setembro, haverá a Medical Fair Thailand, evento que pela primeira vez receberá o tradicional pavilhão brasileiro organizado pelo Brazilian Health Devices.

Artigos relacionados

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios