DestaqueGeralRS

RS tem 22 pontos impróprios para banho – nenhum está localizado no Litoral

O sétimo relatório de balneabilidade das praias divulgado pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), nesta sexta-feira (25), indica que caiu para 22 o número de pontos impróprios para banho no Rio Grande do Sul. Nenhum dos pontos impróprios está localizado no Litoral. Na semana passada eram 24 pontos inadequados.

Em Pelotas, seis pontos permanecem sem condições de banho na Praia do Laranjal: Santo Antônio – Rua Bagé e Santo Antônio – Avenida Rio Grande do Sul, Balneário dos Prazeres, Colônia Z-3, Valverde – Pontal da Barra e Valverde – Aki Pizza.

Os demais pontos impróprios para banho são: balneário Caverá, no rio Ibirapuitã, em Alegrete; Praia Recanto das Mulatas, no Lago Guaíba, em Barra do Ribeiro; Balneário Rainha do Sol, no rio Ibicuí, em Manoel Viana; Balneário Passo do Umbú, no rio Ibicuí, em São Vicente do Sul; Balneário Fernando Schilling, no rio Jaguari, no município de Jaguari; Balneário da Jacaquá, no rio Ibicuí, no município de São Francisco de Assis; Balneário Passo do Verde, no rio Vacacaí, em Santa Maria; e dois pontos da  Lagoa dos Patos, em Tapes – o Balneário Rebelo e a Praia do Pinvest.

Em função das enchentes de alguns rios não foi possível coletar as amostras de água em sete pontos monitorados que foram incluídos na relação de locais impróprios pelo critério do princípio da precaução. São eles: dois pontos do rio Santa Maria, na praia das Areias Brancas, em Rosário do Sul; e dois pontos no Balneário São Simão, em Cacequi; dois pontos do rio Ibicuí, no Passo do Silvestre, em Itaqui e na praia Passo Real, em Dom Pedrito; e outros dois pontos do rio Jacuí, na praia Nova, em Cachoeira do Sul, e no Balneário Santa Vitória, em Rio Pardo, e o Balneários das Tunas, no rio Vacacaí, em Restinga Seca.

Neste ano o projeto Balneabilidade ampliou para 44 o número de municípios monitorados, com a inclusão dos balneários de Pelotas e Tavares. Ampliou também o número de pontos monitorados para 94. Em Pelotas, a coleta e o monitoramento são de responsabilidade do Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas (Sanep).

Aplicativo informa condições de banho

A Fepam utiliza, além do site balneabilidade, o aplicativo com informações sobre a qualidade das águas em balneários gaúchos. Desenvolvido com o apoio da Procergs e do Corpo de Bombeiros, o serviço também disponibiliza as condições de segurança para banho e a previsão do tempo. O objetivo é facilitar a comunicação com os veranistas. Pelo site e pelo aplicativo, é possível visualizar se as águas estão próprias ou impróprias para banho. Mesmo com a novidade, a Fepam optou por manter as tradicionais placas informativas nos locais onde as águas estiverem sem condições de banho.

O serviço pode ser acessado pelo computador ou no modo web app, não sendo necessário fazer download em lojas de aplicativos. O serviço funciona nos sistemas Android e iOS. Para ter o aplicativo no seu celular, basta acessar o site e criar o atalho.

O aplicativo também disponibiliza as condições de segurança para o banho de mar no Litoral Norte e Sul, nos locais onde é realizado o monitoramento da qualidade da água. Divulgadas pelos Bombeiros, as informações obedecem ao mesmo critério de cor das bandeiras utilizadas nas guaritas dos guarda-vidas – verde para banho praticável, amarelo para banho com riscos relativos e vermelho para banho desaconselhável. O serviço ainda oferecerá informações de meteorologia, com a previsão do tempo, a temperatura e a velocidade do vento – nos pontos onde é realizada a balneabilidade.

Relatórios

O Projeto Balneabilidade deste verão terá duração de 16 semanas. O monitoramento está sendo realizado em 44 municípios do Litoral Norte, Médio e Sul, Lagoa dos Patos e das Regiões Hidrográficas do Guaíba e do Uruguai. As coletas e análises são feitas pela Fepam, Corsan e Sanep. Os resultados das análises da qualidade da água serão divulgados sempre às sextas-feiras, até 1º de março.

Os boletins são elaborados com base nos resultados das informações obtidas em cinco coletas realizadas nas semanas anteriores. Para analisar as condições bacteriológicas nas praias e balneários, são utilizados os parâmetros coliformes termotolerantes e escherichia coli, que indicam contaminação fecal, além da contagem de cianobactérias, organismos que podem causar intoxicações.

Os critérios do projeto consideram duas categorias de balneabilidade para águas doces, salobras e salinas – próprias ou impróprias para banho. São consideradas próprias quando os resultados de quatro ou mais das últimas cinco amostras coletadas no mesmo local constatarem quantidade de coliformes termotolerantes igual ou menor de mil ou quantidade de escherichia coli menor ou igual de 800 por cem mililitros.

São impróprias quando os resultados de uma ou mais das últimas cinco amostras coletadas no mesmo local constatar mais de mil coliformes termotolerantes ou mais de 800 escherichia coli por cem mililitros, ou ainda, quando o valor obtido na última amostra for superior a 2,5 mil coliformes termotolerantes ou 2 mil escherichia coli por cem mililitros.

Etiquetas

Artigos relacionados

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios