Porto AlegreSaúde

Porto Alegre amplia acesso e oferece consultas farmacêuticas a diabéticos

Iniciativa pioneira no país inclui mais pessoas nos critérios para receber os insumos

Pacientes diabéticos que recebem insumos pelo Sistema Único de Saúde na Capital passam a contar com consultas farmacêuticas a partir de setembro. Pioneira no país, a iniciativa possibilita que o profissional oriente quanto ao uso do aparelho para medição e leitura da glicemia, armazenamento e preparo da insulina, técnica correta de aplicação e manejo adequado em casos perigosos de hiper ou hipoglicemia.

Além disso, mais pessoas estão incluídas nos critérios para receber os insumos, com quantidades definidas conforme a necessidade de cada caso. Segundo o coordenador de Assistência Farmacêutica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Leonel Almeida, foi feita nova portaria definindo critérios clínicos a respeito da quantidade efetiva para o controle da glicemia e o uso adequado da insulina.

Publicidade

O atual critério está associado às condições de saúde do paciente e ao uso de certos tipos de insulina. A partir da atualização, foi possível ajustar o consumo e qualificar os critérios de inclusão. “Hoje, sabemos que todos os pacientes que necessitam dos insumos estão contemplados”, afirma Almeida.

O novo fluxo de inclusão no programa facilitou o acesso aos insumos, já que agora a solicitação é feita diretamente na unidade de saúde do paciente. Antes, era necessário ir até a sede da secretaria com a solicitação feita pelo médico. “Tudo é resolvido na unidade de saúde, ou seja, o médico identifica os critérios para verificar se a pessoa está apta a ser incluída e solicita consulta especializada com farmacêutico”, explica, afirmando ser iniciativa pioneira no país quanto à interligação das consultas com a área de farmácia, via sistema informatizado.

Na consulta, o farmacêutico dá orientações aos pacientes a respeito do uso da insulina. “O profissional verifica se a pessoa sabe agitar o produto adequadamente e aspirar a quantidade prescrita, garantindo o uso correto e seguro e dando mais autonomia ao paciente no tratamento”, diz. Serão até quatro consultas, conforme a necessidade de cada um, momento no qual o farmacêutico avalia o grau de independência e autocuidado.

Publicidade

“Como trata-se de paciente com critérios de risco, por usar um medicamento potencialmente perigoso, durante a consulta explicamos os critérios de manutenção adequados para que as pessoas possam ter menos internações causadas por problemas com o uso equivocado”, avalia, o que reflete em mais segurança e melhora no prognóstico de saúde em decorrência da doença, segundo o coordenador.

Pelo Programa Municipal de Insumos para Diabetes, recebem aparelho para leitura e medição de açúcar no sangue, seringas para aplicação de insulina, tiras reagentes e lancetas portadores de diabetes mellitus tipos 1 e 2 em uso de insulina e portadoras de diabetes mellitus pré-gestacional e gestacional. As mudanças foram possíveis a partir da implantação do Sistema de Dispensação de Medicamentos (DIS) e do Sistema de Gerenciamento de Consultas (Gercon). A informatização possibilitou o controle de estoque e a reestruturação do programa com o objetivo de atender mais pessoas com qualidade.

Etiquetas
Publicidade

Artigos relacionados

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios