DestaquePorto Alegre

Salão UFRGS começa segunda-feira em Porto Alegre

Conferência de abertura reunirá alunos e ex-alunos que falarão sobre a importância da UFRGS em suas trajetórias

Na próxima semana, de 21 a 25 de outubro, o Campus do Vale sedia o maior evento anual da UFRGS. Integrado pelos salões de Ensino, Iniciação Científica, Extensão, UFRGS Jovem, Finova e EDUFRGS, o Salão UFRGS reúne o que é produzido nos laboratórios e nas salas de aula da Universidade, as experiências de interação com a comunidade e as iniciativas de gestão e de inovação, além de ser espaço de estímulo ao interesse pela ciência, com a apresentação de trabalhos de estudantes do ensino básico. “O Salão é a grande festa do conhecimento”, enfatiza a vice-reitora e pró-reitora Acadêmica Jane Tutikian, coordenadora da atividade. E, como não poderia deixar de ser, esse conhecimento, bem como toda a Universidade, está diretamente vinculado às demandas da sociedade e às condições socioeconômicas do Brasil. Como já é de tradição, o tema do Salão UFRGS busca estimular o debate sobre questões da atualidade.

“A universidade vem vivenciando um ataque muito grande, desde o governo passado”, afirma Tutikian, salientando a ofensiva sem precedentes contra as instituições federais de ensino. “A universidade pública federal vem sendo desqualificada. É como se tivesse sido escolhida como inimiga do Estado, quando não é isso. A universidade é um elemento de crescimento do país. O desenvolvimento nacional depende da universidade, já que 99% da pesquisa brasileira é produzida nessas instituições”, ressalta. Para responder aos ataques, que têm ocorrido por meio dos cortes no orçamento e nas bolsas e pela difusão de campanhas de difamação, a vice-reitora reforça ser preciso mostrar à comunidade o que é produzido aqui. O tema Universidade presente, portanto, reflete o objetivo de deixar mais evidentes as várias maneiras pelas quais a UFRGS se insere na sociedade e colabora para o progresso econômico e social do Brasil.

Publicidade

Universidade presente é também o mote da conferência de abertura, que ocorre no dia 21 de outubro, às 11 horas, no auditório do Instituto Latino-Americano de Estudos Avançados (ILEA). A primeira indígena diplomada em odontologia pela UFRGS, o fundador de um clube de assinatura de livros, uma professora de robótica do ensino básico e a CEO de uma empresa de biotecnologia falarão sobre a influência da Universidade em suas trajetórias. “Os palestrantes são todos jovens e muito bem-sucedidos. São pessoas para quem a universidade teve um papel fundamental. Então essa mesa vai ser extremamente interessante. Eles irão dar o seu testemunho da importância de terem passado pela UFRGS, do que ela significou em suas vidas”, comenta Tutikian.

Conheça os palestrantes:

Arthur Dambros é formado em administração de empresas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Fundou a TAG – Experiências Literárias em 2014, clube de assinatura de livros que tem hoje mais de 50 mil associados ativos e 100 colaboradores na equipe. Arthur ocupa o cargo de diretor de marketing e growth, responsável principalmente pelos indicadores de aquisição e retenção do clube.

Camila Corrêa Vargas possui graduação em Ciências Agrárias com foco em Tecnologia em Agropecuária pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (2013) e mestrado em Fitotecnia, com ênfase em entomologia, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2016). Atualmente, é doutoranda em Fitotecnia pela mesma universidade e CEO da BION, empresa pioneira em unir biotecnologia e tecnologia da informação no controle e monitoramento de pragas. Acredita no empreendedorismo como uma das melhores formas de levar pesquisas acadêmicas para fora dos muros da universidade.

Publicidade

Cristiane Pelisolli Cabral é docente titular do ensino fundamental na Secretaria Municipal de Educação de Porto Alegre, onde atua como professora de Robótica Educacional para alunos do ensino fundamental desde 2007. Doutoranda e mestre em Educação pela UFRGS, foi local chair na RoboCup Jr – Brasil em 2014, chair na Competição Brasileira de Robótica (CBR) de 2014 até 2017 e, atualmente, é trustee da RoboCup Brasil (2018-2020).

Jessica Vaz Silva é Kaingang, tem 25 anos e formou-se em Odontologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 2018, sendo a primeira indígena a graduar nesse curso. Atua como dentista na Terra Indígena de Nonoai, na aldeia de Pinhalzinho, município de Planalto, no norte do estado do Rio Grande do Sul. Acredita que o tema do Salão UFRGS 2019 vem ao encontro do atual cenário político. Diante de ataques diários, não somente na educação, ela defende que neste momento devemos pautar e mostrar, de fato, o valor da universidade pública para a sociedade como um todo, dando voz aos atores sociais que transitam nesses espaços, mostrando e fortalecendo o protagonismo indígena dentro e fora universidade.

A programação completa e demais informações sobre o evento podem ser acessadas no site do Salão UFRGS.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar