Rio Grande do Sul

Passo Fundo: município repassa R$ 1 milhão para 17 entidades

FUMDICA - Recursos são oriundos das destinações do Imposto de Renda (IR) de pessoas físicas e jurídicas

O prefeito de Passo Fundo, Pedro Almeida – Foto Diogo Zanatta

A Prefeitura de Passo Fundo vai iniciar a distribuição dos recursos oriundos da dedução do Imposto de Renda (IR) de pessoas físicas e jurídicas às 17 entidades de assistência sociais contempladas com o Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMDICA). Conforme o secretário de Cidadania e Assistência Social, Saul Spinelli, o valor proveniente do Fundo ultrapassa o valor total de R$ 1 milhão, gerando repasses de R$ 55 mil e R$ 75 mil.

De acordo com Spinelli, as entidades que receberão os recursos tiveram seus projetos aprovados a partir de critérios técnicos definidos em edital pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (COMDICA), validados pela Comissão de Licitações e Contratos (CLC) da Prefeitura. “As entidades beneficiadas atendem às crianças e adolescentes em programas sociais e educativos em diversas regiões da cidade”, explicou o secretário, comentando que, ao todo, mais de mil crianças serão afetadas pelas oficinas e programas promovidos a partir do recebimento destes valores.

Para o prefeito de Passo Fundo, Pedro Almeida, a destinação de valores do Imposto de Renda às entidades é uma maneira de toda a sociedade passo-fundense contribuir com programas sociais focados na juventude. “As oficinas e atividades que se estruturam a partir destas contribuições são essenciais para fomentar a inclusão social de crianças e adolescentes”, observou ele, comentando que, neste ano, o Executivo promoveu ações para incentivar que mais pessoas físicas e jurídicas aderissem à campanha, ampliando os recursos disponíveis para serem aplicados nestes projetos.

Cidadania e inclusão

Uma das entidades beneficiadas com os recursos é a Associação dos Pais e Amigos dos Surdos de Passo Fundo (APAS). De acordo com a presidenta da entidade, Marinez Tomazi Debiasi, esse valor é fundamental para viabilizar o pagamento dos profissionais envolvidos no atendimento dos usuários. “Com esse recurso conseguimos custear nossa assistente social, uma psicóloga, um oficineiro de teatro, o custeio de um professor de cultura e identidade surda, um tradutor/intérprete de LIBRAS e uma pedagoga”, contou ela, complementando que o auxílio destinada à APAS não visa somente o pagamento dos profissionais, mas também possibilita que as atividades da entidade tenham continuidade. “Promovemos espaços de convivência para os surdos”.

Marinez relata ainda que as oficinas promovidas pela Associação envolvem diversos aspectos ligados a cidadania da comunidade surda. “O acesso às oficinas proporciona fortalecimento de vínculos, empoderamento do sujeito e o desenvolvimento da autonomia. Na convivência com seus pares desenvolvam habilidades, trocam experiências e aprimoram a forma de comunicação por meio da LIBRAS”, resumiu ela.

Para a presidenta do COMDICA, Salete de Souza, os recursos distribuídos através do Fundo asseguram a manutenção de atividades oferecidas pelas entidades no turno inverso ao escolar. “São oficinas que estimulam a inclusão social através do esporte, da dança, da inserção no ambiente digital e de outras práticas fundamentais para nossas crianças e adolescentes”, destacou ela, complementando que estas entidades também atuam no fortalecimento dos vínculos familiares.

Outra entidade contemplada é o Esporte Clube Vila Nova, que atende crianças e adolescentes no bairro Jaboticabal. “Nós montamos um núcleo do E.C Vila Nova nesta comunidade, beneficiando cerca de 100 crianças. Elas vão passar por atendimentos com uma assistente social e vão se integrar em atividades esportivas, monitoradas por um instrutor e um professor. Estes profissionais são custeados com os recursos do FUMDICA, que torna tudo isso possível”, comentou o coordenador da organização, Beto Oliveira, complementando que cada integrante ainda recebe uniforme completo e alimentação. “São turmas mistas, envolvendo meninos e meninas e as atividades ocorrem no espaço da Escola Fredolino Chimango, o que também promove uma integração com a comunidade”.

Para Beto, a destinação destes recursos promove ações que fomenta a inclusão social. “A prática esportiva, no caso do Esporte Clube Vila Nova, impulsiona também o interesse pela educação, porque uma das condições para a permanência nas oficinas é o desempenho e a frequência escolar”, disse ele, citando que a assistência social é outro pilar importante deste projeto. “Este acompanhamento faz diferença, porque envolve toda a família e faz os encaminhamentos necessários”.

Entidades contempladas

  • Sociedade de Auxílio e à Infância – SAMI
  • Assistência Social Arquidiocesana Leão XIII
  • Fundação Beneficente Lucas Araújo
  • Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE
  • Lar Emiliano Lopes
  • Associação Educativa Agostini – AEA
  • Congregação Missionária Redentorista
  • Associação de Pais e Amigos dos Surdos – APAS
  • Associação das Entidades do Projeto Transformação
  • Agentes do Amor Divino
  • Associação Passo-fundense de Cegos
  • Sociedade Cultural, Recreativa e Beneficente São João Bosco
  • Escola de Educação Infantil Lar Ivone Terezinha Dall`Igna
  • Esporte Clube Vila Nova
  • Associação de Desenvolvimento Social do Norte do RS
  • Associação Olympika de Artes Maciais
  • Fundação Santo Claudino Verzeletti

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo