Norte RSTecnologia & Inovação

Centro tecnológico e científico do agronegócio será lançado no RS

Iniciativa pioneira no Brasil é fruto de parceria entre a Universidade de Passo Fundo, BSBios, empresas e lideranças

Um centro tecnológico e científico para desenvolvimento do agronegócio e agroenergia será lançado no RS. Uma iniciativa voltada para o agronegócio e a agroenergia, em formato inédito no Brasil, foi criada oficialmente nesta quinta-feira (23), em Passo Fundo (RS). O TecnoAgro irá fomentar, desenvolver novos negócios e promover inovações para beneficiar o Rio Grande do Sul. A associação reúne cerca de 20 empresas e entidades e será sediada junto ao Parque Científico e Tecnológico da Universidade de Passo Fundo (UPF).

Publicidade

A UPF será responsável pelo fomento da pesquisa e da inovação e membro nato do conselho curador do TecnoAgro. A reitora, Bernadete Maria Dalmolin, destacou que a instituição colocará à disposição sua estrutura científica instalada na UPF Parque, bem como o capital intelectual de pesquisadores de referência no agro. “Acredito na inovação e ela acontece quando pessoas qualificadas de diferentes segmentos se dispõem a compartilhar seus conhecimentos em torno de um propósito. Juntos, agregaremos valor ao agro e contribuiremos para o desenvolvimento econômico, social e ambiental da região e do país”, observou.

Parceria entre UPF e empresas busca desenvolver ecossistema de inovação e será aberta a projetos que atendam demandas e gargalos do agronegócio e agroenergia – Foto: Leonardo Andreoli

O presidente do Conselho Curador da associação será o empresário Erasmo Carlos Battistella, diretor presidente da BSBios — produtora de biodiesel com mais de 10 usinas. Para ele, o centro dá início a uma parceria em busca do desenvolvimento de toda a região. “Temos que pensar que sem o agro e sem a agroenergia, não teremos futuro e precisamos produzir de forma sustentável. Somos parceiros para trabalhar e esperamos que, com essa união que já nos marca, o TecnoAgro possa ter todo o apoio necessário para crescer e se consolidar”, concluiu.

Presidente eleito do Conselho Diretor do TecnoAgro, Glauber Vieira, acredita que o envolvimento das empresas e entidades será fundamental para superar os desafios do setor. “Temos o compromisso de olhar para dentro das propriedades rurais e também trazer as pessoas para dentro desse ecossistema de inovação. A pesquisa, a inovação, as experiências de cada empresa envolvida devem gerar resultados efetivos para a sociedade”, enfatizou.

Também foram eleitos os membros do Conselho Curador, Conselho Fiscal e da primeira Diretoria do TecnoAgro. O vice-presidente do Conselho Curador é o professor Luiz Fernando Pereira Neto, em nome da Fundação Universidade de Passo Fundo.

Conhecimento e experiências para encontrar soluções

Luiz Fernando Pereira Neto, presidente do Conselho Diretor da Fundação Universidade de Passo Fundo e vice-presidente do Conselho Curador do TecnoAgro, ressaltou que o Centro Tecnológico será um diferencial para o estado e fortalecerá ainda mais a região, que possui vocação para o agronegócio.

Para o prefeito de Passo Fundo, Pedro Almeida, o TecnoAgro será espaço para desenvolvimento de soluções, mas também de trabalho coletivo. “Um movimento político importante aproximou a prefeitura, o Estado e o Governo Federal para que a ideia fosse tirada do papel e oficializada hoje. Uma iniciativa que irá alavancar o desenvolvimento de toda a região. A Prefeitura coloca toda a sua estrutura à disposição, atuando para potencializar, dar o dinamismo e o apoio necessários”, salientou.

De acordo com o vereador Rodinei Candeia, um dos líderes da comissão que deu início às tratativas do TecnoAgro, o mérito do trabalho foi colocar em ação, em pouco tempo, um modelo que já está pronto para atuar. “Junto com a Universidade, que tem a expertise do conhecimento e da pesquisa, e somando esforços com empresas e órgãos públicos, teremos um parque voltado para desenvolver ainda mais essa área que já nos faz grandes. Para aumentar a produtividade, não podemos falar em expansão territorial, mas temos que olhar para a ciência e empenhar esforços para fomentar tecnologias que geram valor”, frisou.

Posts relacionados

Botão Voltar ao topo