GeralPorto AlegreSão Leopoldo

Visconde de São Leopoldo entra para o Livro de Heróis da Pátria

livro herois da patria - Visconde de São Leopoldo entra para o Livro de Heróis da PátriaO Instituto dos Advogados do Rio Grande do Sul (IARGS) tem a satisfação de comunicar que foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) na Página 1 da Seção 1 de 09 de Janeiro de 2018, a Lei nº 13.599 que inscreve o nome de José Feliciano Fernandes Pinheiro, o Visconde de São Leopoldo, no Livro de Heróis e Heroínas da Pátria. Com páginas de aço, o livro fica guardado no Panteão da Pátria Tancredo Neves, na Praça dos Três Poderes, em Brasília e, quem tem o nome inscrito, adquire o status de herói nacional.

Visconde de São Leopoldo - Visconde de São Leopoldo entra para o Livro de Heróis da Pátria
Visconde de São Leopoldo

Tal Lei foi iniciativa do IARGS, por meio da presidente Sulamita Santos Cabral, e contou com o apoio da Ordem dos Advogados – Seccional Rio Grande do Sul, do Instituto Histórico Geográfico do Rio Grande do Sul, e da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Trata-se de uma vitória conjunta, que registra o justo reconhecimento pelos inúmeros feitos de Visconde de São Leopoldo em prol do país.

O projeto de Lei foi apresentado em 2013 na Câmara Federal pelo deputado federal Giovani Cherini e, após aprovado, foi remetido em 2015 ao Senado, tendo como relator o senador Lasier Martins.

No livro, constam inscritos os nomes de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, sendo o primeiro; Zumbi dos Palmares; Dom Pedro I; Santos Dumont; Anita Garibaldi; entre outros.

José Feliciano Fernandes Pinheiro foi um eminente estadista, advogado, escritor, historiador e um dos maiores representantes da nossa tradição política. Partiu dele a histórica proposta de criar o Curso de Ciências Jurídicas e Sociais no Brasil, concretizada por meio de Ato Imperial no dia 11 de agosto de 1827, com a criação das Faculdades de Direito em São Paulo e Olinda. Foi o primeiro presidente da Província de São Pedro, , que foi a primeira denominação do Estado do Rio Grande do Sul, permanecendo até 1826, onde fundou a primeira tipografia e recebeu a primeira leva de imigrantes alemães em São Leopoldo

 Foi um dos fundadores do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, sendo eleito primeiro presidente perpétuo, contribuído, também para a ampliação e manutenção dos trabalhos da Santa Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Oportunamente será divulgada data da cerimônia em homenagem ao Visconde de São Leopoldo.

Etiquetas
Publicidade
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios