GeralSão Leopoldo

Volta às aulas de reencontro e expectativas na Rede Municipal de São Leopoldo

Nesta quarta-feira, 21 de fevereiro, os mais de 26 mil alunos das escolas municipais retornaram às aulas. Na EMEF Santa Marta, o pátio da escola, onde a equipe diretiva e professores receberam os alunos, ficou lotado de estudantes e pais da comunidade.

A Secretaria Municipal de Educação (Smed) realizou uma série de ações a fim de garantir a estrutura necessária para o início do ano letivo. De acordo com a secretária de Educação em exercício, Mariléia Sell, “apesar de todas as dificuldades conjunturais, as equipes organizam as demandas de forma a não deixar de oferecer a melhor qualidade na educação pública”. Segundo a professora, neste ano, a Smed buscará fazer frente a todas as pautas conservadoras que tentam “limitar a nossa ação docente, como a Escola sem Partido e a Ideologia de Gênero, que visam tolher a nós professores na sala de aula, nos desrespeitando quanto profissionais capacitados e éticos, sabedores do que fazemos. A gente vai aprofundar a reflexão sobre esses movimentos na educação brasileira, a começar pela abertura do ano letivo”, completou Mariléia.

Publicidade

A Rede Municipal de Educação de São Leopoldo tem 51 Escolas, sendo 38 de Ensino Fundamental (EMEFs), 13 Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIs) e 41 Escolas de Educação Infantil Credenciadas. São 26.937 crianças e adolescentes – 23.809 nas escolas municipais ( 3.616 nas EMEIs e 20.193 nas EMEFs) e cerca de 3.128 nas credenciadas – atendidas pelo município. Mais de 1764 professores e cerca de 320 funcionários trabalham nas escolas municipais, além dos 567 trabalhadores das escolas credenciadas e 302 terceirizados.

Confira os depoimentos da comunidade escolar:

A aluna do 6º ano, Andressa da Cunha de Oliveira, 12 anos, espera aprender muito em 2018. “Eu gosto de Educação Física e Matemática, porque são as matérias que tiro melhores notas, além de gostar muito das professoras”, comenta. Maria Eduarda Ribeiro, 9 anos, do 4º ano prefere, segundo ela, “pular corda e brincar”, no pátio da EMEF.

Valmira Machado, 27 anos, mãe do aluno Kauã, disse ter ficado impressionada com a quantidade de pessoas que estavam na escola hoje. Ela contou que sempre leva o filho para a aula e já estava com saudades da rotina. “Eu espero que este ano seja muito bom para os alunos. É ótimo voltar para a escola, pois assim eles não estão na rua”, relatou Valmira.

Publicidade

A pequena Kaoma Budinsky, 8 anos, do 3º ano, revelou que estava com saudades da escola. “É por causa de um professora que eu adoro”, disse. Sua colega de classe, Brendha Eduarda da Silva, 8 anos, contou que a saudade passou quando entrou na escola e viu todas as pessoas. “Eu tenho que treinar mais um pouco a letra emendada”, comenta ela sobre as expectativas. Os momentos de descontração são parecidos para as duas amigas, ambos na sala de aula. “Eu gosto de desenhar no quadro”, diz Kaoma. Brendha se diverte com as aulas de dança e música.

“Gosto de matemática, porque eu uso bem a mente, eu sou melhor”, respondeu Josué Elias de Souza, 11 anos, do 6º ano, ao ser questionado sobre o retorno às aulas. Ele complementa dizendo que, depois das matérias, gosta mesmo é da hora do lanche, sendo o seu preferido a salada de frutas.

A vice-diretora da escola, Elaine Terezinha de Souza Vieira, comentou que o mais importante da volta às aulas é a abertura da escola para a comunidade. “É um lugar seguro para os alunos estarem. Esse ano será de luta e de conversa. É um ano diferente, de dificuldade. Certamente será um ano de muito diálogo e de bastante aprendizagem”, colocou a vice-diretora.

Fotos: Thales Ferreira – Scom/PMSL

Etiquetas
Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar