DestaqueVariedades

Cálculo do ampere muda dia 20 de maio. Entenda as mudanças:

A partir do dia 20 de maio de 2019, a forma de se calcular o ampere, unidade de medida da corrente elétrica, vai mudar. A maneira de se calcular o ampere foi até agora feita por uma hipótese que não podia ser testada no mundo físico. Depois de muitos debates, no fim de novembro de 2018, o Escritório Internacional de Pesos e Medidas (BIPM, segundo a sigla em francês) determinou que fossem calibradas as medidas do ampere, do quilograma, do mol e do kelvin.

Agora, com a tecnologia atual, é possível medir o ampere de acordo com sua carga elétrica elementar. A corrente corresponde ao fluxo individual de elétrons.

A mudança possibilita uma maior precisão nos cálculos feitos em um nível quântico, isto é, que trabalha com partículas subatômicas. Com isso, as pesquisas realizadas em aceleradores de partículas, como o CERN, poderão alcançar outro patamar de precisão. Isso é relevante inclusive para calcular com maior acuidade a durabilidade das nossas cotidianas baterias de celulares.

Definição antiga

A definição da forma de medida utilizada por enquanto data de 1948 e informa:

“O ampere é a corrente constante na qual, se mantida em dois condutores paralelos, retilíneos, de comprimento infinito, de seção circular desprezível, e situados no vácuo a uma distância de 1 metro entre si, produziria entre estes condutores uma força igual a 0,0000002 newton por metro de comprimento. ” Obviamente, tal hipótese nunca pode ser construída com sua prova física. Agora, a medida exata do ampère poderá ser reproduzida com testes ao redor do mundo. Na nossa vida cotidiana, em princípio, não sentiremos tanto a diferença, mas para as pesquisas mais sofisticadas, a mudança é de fundamental importância.

Como será feita a medição

A ideia é medir exatamente a carga elementar elétrica. Para isso, existe um aparelho chamado de bomba de transporte do elétron único. Em uma plataforma de silício de 300 nanômetros, isto é, de um bilionésimo de metro, os cientistas fazem uma corrente elétrica ir de uma extremidade à outra. Eles captam então o movimento do elétron. Duas espécies de portas são postas nessa plataforma. Elas bloqueiam ou abrem o fluxo de elétrons. A constância desse fluxo é utilizada para medir a intensidade da corrente elétrica. Como qualquer energia a mais pode interferir no comportamento dos elétrons, o aparelho é resfriado a uma temperatura próxima do zero absoluto ou -273°C.

Outras unidades de medida

Outras unidades de medida do Sistema Internacional (SI) serão redefinidas também em 2019. É o caso do quilo, do mol e do kelvin. O SI determina sete unidades de medida básicas. Elas são:

  • O ampère (corrente elétrica);
  • O quilo (peso);
  • O metro (tamanho);
  • O segundo (tempo);
  • O mol (quantidade de substância);
  • A candela (luminosidade).

O quilo

Para se ter uma ideia, o quilo usado até os dias de hoje como referência é a massa de um cilindro de platina e irídio que está guardado em um cofre na França desde 1889. Apesar de ser muito preciso, o objeto perdeu 50 microgramas em cem anos. A nova maneira de medir o quilo permitirá que mais pessoas ao redor do mundo possam produzir objetos de medida e pesquisas com precisão, mesmo sem ter acesso ao quilo que está na França. O mesmo vale para as outras unidades. A nova definição de parâmetros promete contribuir substancialmente para o avanço das pesquisas em todo o mundo.

*Robson Cesar Cardoso é coordenador pedagógico do 9º ano e da 1ª série do Ensino Médio do Colégio Salesiano Santa Teresinha. Físico com mestrado em Ensino de Física, cursou Engenharia Civil e há 20 anos leciona física para os jovens em escolas e cursinhos de São Paulo.

Etiquetas
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios