Novo HamburgoRS

Debates, apresentações e lançamento de livro reuniram oficinas na Feevale

Novo Hamburgo – Debate acerca da trajetória coletiva na perspectiva inclusiva, discussões sobre direitos humanos, apresentações culturais e até o lançamento de um livro da Educação de Jovens e Adultos (EJA) foram os destaques do I Seminário da Justiça Comunitária e Direitos Humanos e do II Seminário da Educação de Jovens e Adultos Debates realizados nesta semana na Feevale. As atividades integradas foram desenvolvidas pela Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo (PMNH), em parceria com a Feevale e a Fundação La Salle. O evento foi aberto ao público e direcionado a comunidade escolar, rede de atendimento socioassistencial, além de servidores públicos.

Reunir as oficinas participantes foi uma iniciativa em conjunto entre os projetos Núcleo de Justiça Comunitária e Direitos Humanos e o Projeto de Educação de Jovens e Adultos (Paeja). Segundo a coordenadora técnica do Núcleo de Justiça Comunitária, Graziela Maria Prunch Gonçalves, o seminário foi muito produtivo e proporcionou a sensibilização da comunidade escolar para as práticas de mediação e a importância da EJA. “Avaliamos o seminário como um evento produtivo e de muitas reflexões, tanto na prevenção à violência quanto no ambiente escolar”, falou.

A coordenadora do Projeto de Apoio de Educação de Jovens e Adultos (Paeja) da Fundação La Salle, Ivete Terezinha Barth, destacou que todo o projeto foi uma construção coletiva. “Fizemos tudo em conjunto. Este é o momento de colocar também a EJA e o nosso trabalho em evidência. A Prefeitura e a população tiveram um papel muito importante durante este processo”, falou. Para o secretário da Segurança de Novo Hamburgo, general Roberto Jungthon, foi uma satisfação estar num ambiente de afeto e segurança. “Neste projeto todas as secretarias estão envolvidas, uma delas é da Segurança. Precisamos promover políticas públicas baseadas em evidências, com foco em resultados para a nossa comunidade. Os projetos estão aí para isso”, destacou.

A secretária de Educação do Município, Maristela Guasseli, chamou a atenção para ampliação dos espaços de ensino da EJA. “Hoje contamos com seis espaços, antes eram cinco. São cerca de 500 alunos atendidos pela Rede Municipal de Ensino. O nosso principal objetivo é o aprendizado do nosso estudante. E o Paeja é um recorte dessa grande proposta. Todos nós trabalhamos em prol de que estes projetos aconteçam e deem certo”, finalizou.

Os projetos do componente de Prevenção à Violência são executados pela Prefeitura e integram o Programa de Desenvolvimento Municipal Integrado (PDMI) em quatro territórios do Município (Santo Afonso, Canudos, Boa Saúde e Kephas/Diehl). O financiamento é do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Etiquetas

Artigos relacionados

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios