DestaquePorto AlegreRio Grande do Sul

Procon Porto Alegre orienta sobre restaurantes no Dia das Mães

No Dia das Mães, que será comemorado neste domingo, 12, muitos consumidores celebram a data em restaurantes. O Procon Porto Alegre, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, está orientando os consumidores sobre os seus direitos nesses estabelecimentos. O Procon elaborou uma série de recomendações para garantir que as mães possam aproveitar ao máximo a data. “O mais importante é reforçar os vínculos familiares em um momento de harmonia e troca de amor e carinho. Afinal, toda mãe já ganhou o seu melhor presente ao ter filhos”, diz a diretora executiva do Procon Porto Alegre, Fernanda Borges.

Publicidade

Veja as dicas:

Gorjeta – Não é obrigatória. Deve ser vista como um estímulo à boa prestação de serviços do garçom. O mesmo vale para a taxa de 10% sobre o valor do cardápio: pagar é uma opção do consumidor, que deve ter liberdade para ignorar a taxa, ou até mesmo para sugerir outro percentual de acordo com seu nível de satisfação. O certo é que o estabelecimento não tem o direito de exigir o pagamento de taxas adicionais.

Desperdício – Muitos restaurantes que servem buffet ou rodízio com valor único adotam a política de cobrar por eventuais desperdícios. Ainda que seja educativa, essa exigência é ilegal.

Divisão de um prato – Quanto ao cardápio a la carte, o restaurante não pode negar o pedido do cliente, caso este queira dividir o prato entre duas ou mais pessoas. A cobrança de taxa, ou a negativa do pedido, é prática indevida. O consumidor está pagando pela mesma quantidade de comida (produto), independente da forma como será servida.

Couvert artístico – O consumidor deve ser avisado na entrada caso exista cobrança de couvert artístico. O dever de informar é do próprio estabelecimento.

Demora no pedido – Caso a comida demore muito a chegar, o consumidor tem o direito de solicitar o cancelamento do pedido sem a necessidade de pagar pelo produto que não foi consumido.

Perda da comanda – A cobrança de multa por perda da comanda é considerada uma prática abusiva pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC). A responsabilidade pelo controle do consumo de cada mesa deve ser do estabelecimento e não pode ser transferida ao cliente.

Taxa de rolha – O estabelecimento pode ou não aceitar que o cliente leve a sua própria bebida – como garrafa de vinho ou espumante. Caso haja cobrança da chamada “taxa de rolha”, isso deve ser informado previamente ao consumidor.

Caso o consumidor se sinta lesado, ou se depare com situações não previstas acima, a indicação é procurar o Procon Porto Alegre para esclarecer dúvidas ou formular reclamações. Informações sobre direitos e deveres na hora de fechar a conta também podem ser obtidas no CDC. Os estabelecimentos têm o dever de disponibilizar aos clientes ao menos um exemplar em local visível para consulta.

Atendimento – O Procon Porto Alegre é exclusivo para residentes no município, que podem registrar reclamações diretamente pelo site, no atendimento eletrônico, ou pessoalmente, na rua dos Andradas, 686, térreo, Centro Histórico. O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. São distribuídas 80 fichas diárias com atendimento por ordem de chegada. O consumidor também pode agendar atendimento presencial no site. São fornecidas 11 senhas diárias. Mais informações na página do Facebook.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar

Seu navegador está bloqueando os anúncios deste site.

Todo o conteúdo deste portal é 100% gratuito. Os anúncios que exibimos é a forma de manter este veículo de informação independente e comprometido somente com você leitor.