Vale do Sinos

II Fórum Paralímpico de Canoas

Agentes públicos, atletas, profissionais de educação física e público em geral estiveram reunidos no III Fórum Paralímpico de Canoas para debater as iniciativas para as modalidades. Após a apresentação dos aportes que a Prefeitura de Canoas está dispensando ao desenvolvimento das atividades, através da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SMEL), da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Participação Social (SMDHPS) e do Comitê Paralímpico Municipal, os atletas pediram mais visibilidade e confiança social. O Fórum também focou na necessidade de promover formações aos professores, segundo o diretor da área da Pessoa Com Deficiência, da SMDHPS, Jair Silveira.

Buscando minimizar esse impacto, a Prefeitura de Canoas busca proporcionar essa visibilidade através dos editais e de programas esportivos. A Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SMEL) incentiva os atletas e paratletas a pleitearem o incentivo para competições nesse segundo semestre. As inscrições se encerram no próximo dia 10 de junho. O valor total do Edital de Incentivo ao Esporte, para o 2º semestre, é de R$ 120 mil.

Outro edital, lançado através da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Participação Social (SMDHPS), é direcionado para contemplar projetos de entidades de Canoas que trabalham as políticas da inclusão da pessoa com deficiência. O edital no valor de R$ 300 mil pode contemplar as entidades com até R$60 mil.

Comitê Paralímpico Brasileiro

O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) esteve representado no fórum com o coordenador de cursos de educação paraolímpica, David Costa. Durante o dia, acompanhado de Jair Silveira, os dois realizaram uma conversa com os atletas do município. A troca de experiências possibilitou ao representante do órgão nacional perceber os avanços dos programas desenvolvidos em Canoas.

Costa se disse contente por Canoas estar adiantada, enquanto município, na implementação de políticas públicas de fomento e incentivo ao esporte paralímpico. “É motivo de muito orgulho para o Comitê Paralímpico poder participar desse fórum. Tem um significado muito bacana que é o envolvimento da sociedade e do poder público. Também por poder vir e acompanhar situações que a gente não imagina que esteja acontecendo”, contou.

Apontando para o crescimento do esporte paraolímpico em todas as suas vertentes, David Costa comenta o esforço do comitê em desenvolver esses pontos no país. “Podemos dizer que o esporte paralímpico cresce pensando não só no alto rendimento que é um sucesso, que busca a sua consolidação, mas nos outros pontos, como a iniciação, participação no esporte. São 45 milhões de pessoas com deficiência. O CPB tem a convicção e determinação de poder contribuir com o esporte e a atividade física, para que a educação física escolar se torne uma realidade. Jamais deixaremos que o esporte seja para poucos, mas que seja para todos”, finalizou.

Etiquetas
Publicidade

Artigos relacionados

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios