RS

Pelotas: Terceira edição do ano do projeto Adoção de Cavalos traz novidades

A partir de julho, propriedades que adotarem os cavalos passarão a ser fiscalizadas

A adoção de cavalos que ocorre nesta terça-feira (9), a partir das 14h, será a terceira do ano e traz uma novidade. A partir de agora, todos os meses a Prefeitura realizará fiscalizações surpresas nas propriedades para onde os cavalos forem levados, com o objetivo de garantir que os dados passados pelos adotantes sejam verdadeiros. A ação será realizada uma vez por mês, de forma aleatória, sendo que irregularidades serão punidas.

projeto Adoção de Cavalos 1 - Pelotas: Terceira edição do ano do projeto Adoção de Cavalos traz novidadesNesta edição do projeto Adoção de Cavalos, cerca de 16 animais serão colocados à disposição de produtores rurais da região, todos recolhidos pelo serviço de Apreensão de Animais da Secretaria de Serviços Urbanos e Infraestrutura (Ssui). Após serem retirados das ruas, os equinos vão para a Hospedaria Municipal de Grandes Animais, onde recebem tratamento veterinário, são vermifugados e tosados. Todos são chipados através de parceria com o Hospital Veterinário da Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

Segundo a veterinária e responsável técnica da Hospedaria, Karina Goularte D’ávila, pessoas de toda a região podem participar da ação, tornando-se responsáveis pela manutenção dos cavalos e éguas adotados. Conforme exigência da Secretaria Estadual de Agricultura para emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA), os novos donos deverão realizar exames para identificação de anemia infecciosa e mormo, sendo que a Prefeitura se responsabiliza pela coleta do sangue.

Para adotar é preciso ter guia de produtor rural e assinar o Termo de Adoção, no qual se compromete a não usar o animal para trabalho de tração. Os interessados em adotar devem se cadastrar através do telefone 3271-9244. A Hospedaria de Grandes Animais fica no km 75,1 da BR-392, na saída para Canguçu.

A Hospedaria

A Hospedaria de Grandes Animais é gerenciada pela Ssui. Os animais, após serem recolhidos da rua, recebem tratamento veterinário, são vermifugados e tosados. Durante 30 dias, se alguém aparecer se apresentando como dono do cavalo, terá de pagar multa no valor de uma Unidade de Referência Municipal (URM), equivalente a R$ 108,84, para realizar a sua retirada.

Até lá, os equinos permanecem no local, consumindo em média 3,2 mil quilos de ração por mês – média de quatro quilos diários por animal -, fora a alfafa e o pasto. “Aqui eles são bem cuidados. Muitos chegam debilitados por maus-tratos e quando vão embora estão mais fortes e saudáveis”, conta Karina.

Para adotar

Para participar das adoções, basta comparecer na sede da Hospedaria de Grandes Animais, às margens da BR-392 – próximo ao Canil Municipal —, das 13h45min às 17h, portando um documento de identificação com foto e o talão de produtor rural, e realizar o cadastro.

A condição é que os cavalos permaneçam no campo, uma vez que na cidade correm mais riscos de exposição a maus-tratos e condições de moradia inadequadas. Quem adota, além dos exames para anemia infecciosa e mormo, deve arcar também com os custos do transporte do animal.

Denúncias

Denúncias de cavalos soltos na rua ou que estejam recebendo maus-tratos podem ser feitas à Ssui pelo telefone (53) 3271-9244; à Secretaria de Qualidade Ambiental (SQA), pelo 3227-1642, ou então com a 3ª Companhia Ambiental da Brigada Militar (antiga Patram), pelo telefone 3309-5380.

Etiquetas
Publicidade

Artigos relacionados

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios