DestaqueSão Leopoldo

Programa de Aquisição de Alimentos inicia em São Leopoldo

Iniciou nesta manhã (9) o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) de São Leopoldo, no Centro de Eventos.
O PAA é um programa do Governo Federal, executado pelo município em um termo misto com o Estado do RS.  Com a gestão centralizada na Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), o programa tem por finalidade auxiliar na alimentação da comunidade assistida por entidades e incentivar a agricultura familiar, além de promover a alimentação saudável.

As instituições da Sociedade Civil que tem o Termo de Cooperação com a prefeitura através da SDS recebem um recurso por meta, ou seja, por pessoa atendida, para auxiliar no que for necessário. Segundo Valdair de Vargas, que foi até o local retirar os alimentos para o Ccei Talitha Kum, o programa é essencial no auxílio à alimentação saudável. “O PAA auxilia bastante lá no Talitha. As crianças ficam muito felizes quando chego com a mercadoria, temos cerca de 170 crianças lá, algumas são realmente muito pobres. Aqui conseguimos alimentos muito bons, tudo fresquinho”, conta.

Os alimentos adquiridos passam inicialmente por uma triagem, são pesados e distribuídos de acordo com a quantidade de pessoas atendidas em cada instituição cadastrada. Entre os principais estão aipim, banana, bergamota, alface, cenoura, batata doce e inglesa, tempero verde e couve. Para o agricultor Heraldo José, do bairro Campestre, o PAA auxilia muito sua renda. “É uma venda garantida, e que ajuda a muita gente que precisa”, afirma.

Em 2019, 20 agricultores estão participando do programa, e dentre estes, 7 são mulheres. Segundo Camila Hofmann, nutricionista e coordenadora do PAA em São Leopoldo, a estratégia é importante em vários aspectos. “Este é um programa muito importante para a promoção da Segurança Alimentar e Nutricional (SAN), fomenta agricultura familiar, garante renda para os produtores e movimenta a agricultura local. Além disso, complementa a alimentação adequada e saudável de pessoas em situação de insegurança alimentar, atuando de forma muito potente contra a fome. Alguns agricultores nos contam que muitas vezes acordam às 4h ou 5h da manhã, para garantir a oferta dos alimentos fresquinhos do campo à mesa”, diz.

As entregas acontecerão quinzenalmente no Centro de Eventos até o fim de novembro deste ano, e 1.609 pessoas serão atendidas através das instituições: Albergue Municipal Bom Pastor, Associação Leopoldense de deficientes (Aldef), Associação de Meninos e Meninas de Progresso (Ammep), Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Associação para o Projeto Amor (Apramor), Associação Isaura Maia, Associação Nossa Senhora Auxiliadora, Associação Pandorga, Associação Vida Nova, Casa de Acolhimento, CCEI Talitha Kum, Centro Medianeira, Centro de Referência Especializado para a Pessoas em Situação de Rua (Centro POP), Círculo Operário Leopoldense (COL), Escola Estadual Indígena Comunidade Kaingang Por Fi, Fundação Casa Aberta, Instituto Educacional Espírita (Iede), Instituto Lenon Joel pela Paz e Lar São Francisco.

Publicidade
Etiquetas
Publicidade

Artigos relacionados

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios