DestaqueSaúde

Pés saudáveis começam com uma boa higiene

Limpe e esfregue seus pés com água e sabão quando você se banhar. Depois, seque-os bem. Organismos fúngicos gostam muito de umidade. Privando-os de qualquer calor e umidade, você fará com que seja mais difícil para eles prosperarem. Certifique-se de secar bem entre cada dedo do pé individualmente, essa é a dica maior, e vale a pena perder uns minutinhos a mais, pois qualquer excesso de umidade entre os dedos pode criar um ótimo ambiente para uma infecção por fungos.

Examine seus pés para saber os problemas existentes
Execute um autoexame uma vez por semana pelo menos, quando você tomar banho. Dê uma boa olhada na sola e, principalmente, entre os dedos dos para verificar se há áreas descascadas, por exemplo. Isso poderia sinalizar o pé de atleta. Também olhe para a descoloração das unhas, o que poderia indicar um fungo de unha. Se você tem diabetes, deve inspecionar seus pés todos os dias, pois o diabetes leva a um maior risco de ferimentos nos pés e infecções.

Publicidade

Corte as unhas dos pés corretamente
Cortar as unhas em linha reta e evitar o corte demasiado perto da pele ou arredondamento de forma drástica. Não corte os cantos das unhas, que podem causar encravamentos dolorosos e infecções.

Não esconda as unhas dos pés “feias” com esmaltes
Uma unha descolorida, grossa, rachada, escura ou em ruínas poderia sinalizar um fungo ou alguma outra lesão dermatológica. Se você aplicar esmalte de unha a uma unha infectada pode piorar.

Proteja os seus pés nas áreas públicas
Certifique-se de usar sapatos de plásticos ou chinelos no chuveiro do ginásio, nos vestiários e em piscinas públicas. Esses locais tendem a ser terreno fértil para fungos que podem levar a infecções.

Publicidade

Evite compartilhamento de calçados
Você pode obter infecções fúngicas por uso de sapatos de outras pessoas, bem como meias usadas por outra pessoa. Isso inclui aluguéis (botas de esqui, de boliche e etc.). Use sempre seu próprio calçados para ajudar a manter os pés saudáveis.

Evite ter os pés suados
Seus pés têm glândulas de suor em abundância, cerca de 250.000 em cada pé. A transpiração cria o ambiente perfeito para bactérias se alojarem. Vestir meias que mantenham os pés secos ajudará a permanecerem saudáveis. Meias feitas de fibras sintéticas tendem a manter a umidade e mais rapidamente “molhar” o pé quando comparadas às de algodão ou meias de lã. Além disso, evite usar meias excessivamente apertadas, o que também favorece manter o pé abafado, gerando assim umidade.

Escolha calçados “respiráveis
Para ajudar a manter seus pés secos e saudáveis, use sapatos arejados para permitir que o ar circule. Se você está propenso a ter o pé excessivamente suado, procure sapatos feitos de tecidos de malha para respirabilidade máxima. Muitos tênis de corridas já têm esse sistema.

Use tênis que se encaixam corretamente
Sapatos que são demasiadamente apertados como chuteiras e sapatilhas, por exemplo, podem causar problemas nos pés de longo prazo. Procure a loja de sapatos no fim da tarde, para compensar o inchaço do pé que ocorre no final do dia e use o mesmo tipo de meias ou meias que você vai usar com os sapatos. Escolha uma caixa anterior ampla e de preferência arredondada, com muito espaço para os dedos dos pés e um salto ou altura estável. Evite sapatos pontudos, que podem dar cãibras nos dedos do pé e perna e causam unhas encravadas e calos.

Saber quando procurar um médico
Não faça nenhum procedimento invasivo no seu pé, não cutuque! Muitos pacientes que tentaram o que eu chamo de “cirurgia de banheiro”, e eles fazem o problema ficar mais grave. Qualquer dor, vermelhidão, pus, inchaço, descoloração que persista e incomode deve ser verificada por um médico especialista em pés. Normalmente, o problema pode ser resolvido com medicamentos ou um pequeno procedimento no consultório. Permitir que um médico ajude evita que problemas menores se tornem sérios.

Ana Paula Simões é Professora Instrutora da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e Mestre em Medicina, Ortopedia e Traumatologia e Especialista em Medicina e Cirurgia do Pé e Tornozelo pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. É Membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia; da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé, da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do Esporte; e da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar