DestaqueSão Leopoldo

Escola de São Leopoldo vai se tornar um Centro Educacional Popular

A Escola Municipal de Artes (EMA) Pequeno Príncipe, em São Leopoldo, está em processo de se tornar um Centro Educacional Popular. A mudança faz parte da adequação da escola à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN nº 9394/1996), através do Programa Criação – Arte, Cultura e Educação. A Secretaria Municipal de Educação (Smed) apresentou ao Conselho Municipal de Educação (CME) o projeto de lei que, segundo ofício do CME “mostra um caminho para solucionar uma situação que há muito tempo carece de empenho para ser normatizada”.

“A mudança proposta é uma necessidade jurídica apontada pelo CME, apenas uma questão burocrática. O funcionamento será o mesmo, as crianças continuarão frequentando o espaço”, explica a diretora Financeira da Smed, Joceane Gasparetto. De acordo com o Conselho, há muito tempo o colegiado aponta a necessidade de adequação à legislação vigente, pois a atual estrutura da Escola Municipal de Artes Pequeno Príncipe “não se enquadra na LDBEN, dentro da Educação Básica (organizada em Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio) e as suas modalidades”. O processo de construção dessa mudança ainda passará por etapas de diálogo com a escola e os pais.

Publicidade

Atualmente, a escola é um espaço que funciona como contraturno escolar e trabalha as mais diversas linguagens das artes como, por exemplo, música, dança, teatro e artes visuais. Em torno de 500 crianças frequentam a Pequeno Príncipe, entre alunos matriculados na rede pública e rede privada, sendo 105 estudantes das escolas prioritárias de São Leopoldo atendidas pelo Programa Mais Educa São Leo.

Segundo o assessor Pedagógico da escola, Jader Santini, o ensino da Arte é fundamental para a formação das crianças. “Constrói a possibilidade de expressão do individuo, de seus sentimentos, histórias e concepções. Com esse entendimento é que a Smed visa, em suas práticas, a valorização do campo artístico e cultural em suas escolas e, principalmente, na EMA Pequeno Príncipe”, afirmou Jader.

Em agosto, a Smed adquiriu para a escola cinco violões, argilas, entre outros materiais artísticos para a realização das aulas. Além de, neste ano, ter aprovado o aumento de 40% no valor do repasse ao Círculo de Pais e Mestres para as escolas da rede municipal, incluindo a EMA Pequeno Príncipe.

Publicidade

“Nessa prática de valorização da EMA Pequeno Príncipe, ampliamos, juntamente à direção da escola, a oferta de vagas, especialmente para os alunos das escolas prioritárias da rede municipal de São Leopoldo. Além disso, investimos em mais materiais para os alunos da nossa rede”, disse Jader.

Etiquetas
Publicidade

Artigos relacionados

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios