DestaqueSerra Gaúcha

Escritor Jorge Amado é tema de mesa especial na Feira do Livro de Caxias

Escritora Josélia Aguiar e pesquisadora Paula Sperb partilharam conhecimentos sobre o autor

“Jornalismo e literatura: percursos da escrita de ‘Jorge Amado, uma biografia’” foi o tema de uma mesa especial neste sábado (28/09), na programação 35ª Feira do Livro de Caxias do Sul. A vida e a obra do escritor baiano foram estudadas a fundo pela biógrafa, Josélia Aguiar, e pela pesquisadora acadêmica Paula Sperb, convidadas que partilharam suas experiências na Galeria de Arte Gerd Borheim. O encontro abordou especialmente os motivos que as levaram a optar por Jorge Amado para seus estudos e suas hipóteses para o sucesso do autor no Brasil e no exterior.

Revista News Biografia-do-escritor-Jorge-Amado-1 Escritor Jorge Amado é tema de mesa especial na Feira do Livro de Caxias
Paula Sperb, o patrono da Feira, Delcio Agliardi, e Josélia Aguiar – Fotos: Luciane Modena

Além de autora da obra “Jorge Amado: uma biografia”, Josélia é jornalista, mestre e doutoranda em História pela Universidade de São Paulo (USP) e diretora da biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo, a segunda maior do Brasil. Paula Sperb, também jornalista, é mestre e doutora em Letras, Cultura e Regionalidade, pesquisadora do autor e repórter do jornal Folha de S. Paulo. O encontro foi mediado pelo repórter Marcelo Mugnol.

Publicidade

A biografia escrita por Josélia foi lançada em 2018 e levou sete anos para ficar pronta. Conforme a autora, sua obra buscou levar em consideração não apenas os aspectos da vida do escritor, mas inseri-los em um contexto. Utilizou-se de documentos, entrevistas, cartas e livros para montar o texto, reconstruindo a trajetória de Jorge Amado.

“Era para ser um livro muito menor, para o centenário (2012). Pesquisando, me dei conta de que iria repetir o que já existia. Isso não responderia as perguntas que mais me inquietavam, como o porquê ele ter sido o autor mais popular do Brasil. Vi que tinha um personagem muito forte, muito rico, muito importante, acompanhando a história cultural e política do país. Busquei colocar esse personagem no palco da história brasileira. Muita gente que não o conhece iria precisar da ajuda dessas informações para entender o papel dele”, explicou a autora.

Assim como Josélia, Paula também teve seu primeiro contato com os livros de Jorge Amado ainda na adolescência. A pesquisadora estudou questões de regionalidade em suas obras durante o mestrado. No doutorado, abordou como ele foi recepcionado nos Estados Unidos, a partir de registros do jornal The New York Times. “A biografia dele fez muita falta. Queria entender aspectos que não estavam nos registros acadêmicos, que têm uma perspectiva mais teórica e técnica, e não a vida da pessoa”, comentou Paula.

Publicidade

Ao longo do debate, Josélia e Paula comentaram sobre a rejeição ao autor em alguns momentos, especialmente de grupos mais intelectualizados. Também relataram as abordagens a temas polêmicos, que conferiram um papel político importante a Jorge Amado, e seu anseio por popularidade, com mais de 40 obras publicadas. Conforme Josélia, ao contrário do que muitos afirmavam, pesquisas demonstraram que Jorge Amado tinha uma escrita sofisticada do ponto de vista linguístico, com variações entre coordenações e subordinações, além de verbos de ação e substantivos. Ele foi traduzido para 49 idiomas, mostrando um Brasil centrado em três diferentes regiões da Bahia.

O encontro encantou a professora aposentada Iraci Maboni, de 72 anos. Ela costuma participar dos eventos da Feira e anotou seus momentos preferidos das falas de Josélia e Paula. “Um livro de Jorge Amado que gosto muito é A Morte e a Morte de Quincas Berro D’Água. É uma obra forte, muito humana. Chama a atenção o enfoque à vida que ele dá nesse livro”, partilhou.

35ª Feira do Livro de Caxias do Sul

Atividades culturais ocuparão os dois palcos instalados na Praça Dante Alighieri (principal e infantojuvenil) e os espaços para leitura e sessões de autógrafos ao longo de toda a programação, que se estende até 13 de outubro. A Casa da Cultura, a Biblioteca Pública Municipal Dr. Demetrio Niederauer e o Teatro Pedro Parenti também receberão bate-papos e oficinas.

A 35ª Feira do Livro de Caxias do Sul ocorre em uma área coberta de aproximadamente 3,5 mil metros quadrados. A área geral tem funcionamento das 12h às 19h, de domingo a quinta-feira, e das 9h às 19h, nas sextas e sábados. A área infantojuvenil, por sua vez, funciona das 10h às 19h, de domingo a quinta-feira, e também das 9h às 19h às sextas e sábados.

A programação é inteiramente gratuita e pode ser consultada no site https://www.feiradolivrocaxias.com/. O evento pode ser acompanhado na fanpage Feira do Livro de Caxias do Sul e no instagram da Secretaria Municipal da Cultura (@culturacaxiasdosul) e da Prefeitura de Caxias do Sul (@prefcaxiasdosul).

Etiquetas
Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar