DestaqueNovo Hamburgo

Prefeita entrega à comunidade nova UTI Neonatal em Novo Hamburgo

Com investimento de R$ 1.295.110,59, espaço físico é 261% maior que a área anterior, possui uma moderna estrutura e equipamentos com tecnologia de última geração

O Hospital Municipal de Novo Hamburgo está se transformando em um complexo de atendimento da gestação aos cuidados intensivos aos recém-nascidos. Meta buscada desde 2017 com projetos de expansão e aceleração das obras na casa de saúde. Nesta trajetória institucional e há apenas dois meses depois da entrega das reformas da Maternidade, a prefeita Fátima Daudt realizou mais um grande feito na sua gestão com a inauguração, nesta quinta-feira, dia 17, da moderna estrutura da Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal. “Queria ter uma varinha de condão para reformar o hospital inteiro, mas devido ao fluxo do hospital precisamos ir por etapas. Gradativamente, estamos promovendo uma evolução na saúde e a UTI Neonatal é mais um exemplo de nossa busca para o bem-estar de nossa população”, disse, emocionada, a prefeita.

Nova UTI Neonatal possui equipamentos com tecnologia de última geração e 25 leitos

Localizado junto à Maternidade e ao Centro Obstétrico, o espaço possui 356,28 metros quadrados, 261% a mais que a área antiga, de 136,49 metros quadrados. O investimento foi de R$ 1.295.110,59, sendo R$ 818.780,00 do governo federal, R$ 208.179,09 dos cofres municipais e R$ 268.151,50 da Universidade Feevale, que repassou o valor para a aquisição de mobiliário, painéis de gases, sistema IT-Médico e instalações de telecom, elétrica e esperas de câmeras, que serão instaladas em breve.

Publicidade

Além do ambiente mais amplo e equipamentos com tecnologia de última geração, a Unidade passa de 20 para 25 leitos, cinco a mais pelo projeto Canguru. Com isso, a UTI Neonatal do Hospital Municipal é a segunda do Estado – a outra é a Santa de Casa de Porto Alegre – a contar com este espaço propício para um contato humanizado dos pais com seus filhos até que possam receber alta hospitalar. Além disso, o pai e a mãe podem permanecer juntos 24 horas ao lado do bebê – antes era um de cada vez. A nova área também cumpre todas as legislações, inclusive a RDC 50.

SOBRECARGA – Ao citar o salto qualitativo no atendimento, com a linha completa de cuidados na UTI Neonatal – do processo intensivo, indo ao intermediário e para o Canguru -, a prefeita reiterou que a Administração Municipal não inaugura tijolos e sim executa obras que dão resultados. “E um grande passo foi dado para oferecer mais assistência aos neonatos, que precisam de um suporte intensivo”, afirmou. Fátima também chamou atenção para um problema sério na saúde. “É do conhecimento que cidades no entorno estão fechando leitos e unidades de saúde. E, no momento em que o SUS está funcionando em uma cidade, como em Novo Hamburgo, estamos registrando uma sobrecarga de pacientes vindos de outros municípios.” Dados das UPAS Centro e Canudos dão conta que, somente em setembro, 800 usuários de outros municípios buscaram atendimento eletivo nestas duas unidades.

O secretário de Saúde, Naasom Luciano, ressaltou a importância da parceria com a Feevale para a finalização da obra e o funcionamento da unidade de saúde via SUS. “Nossa missão é transformar o hospital e estamos fazendo uma mudança da água para o vinho, literalmente. Fazer saúde de qualidade e obras em um hospital de 228 leitos, mais de 1 mil internações por mês e 100% SUS não é fácil, mas estamos mostrando um SUS que dá certo. A entrega da nova UTI Neonatal é motivo de comemoração”, citou, acrescentando que 25 leitos é um número expressivo em comparação com cidades do mesmo porte de Novo Hamburgo que oferecem 10 ou 8 leitos.

Publicidade

TESOURO – Com brilho nos olhos ao falar das novas instalações, o dr. Pierre Prunes, coordenador da UTI Neonatal do Hospital Municipal de Novo Hamburgo, comparou a Unidade a “um tesouro”. “O que temos aqui em termos de equipamentos, nem mesmo hospitais privados de porte possuem, como bombas de infusão e os babypuffs, que proporcionam maior segurança na reanimação do bebê. Nossa UTI é de uma grandeza ímpar e conta com profissionais capacitados e habilitados para fazer a diferença e oferecer o que há de melhor para uma população de 21 municípios (ver abaixo), dos quais somos referência de Gestação de Alto Risco desde o ano passado”, afirmou.

Segundo o diretor do Instituto de Ciências da Saúde da Feevale, Cesar Augusto Teixeira, o momento é histórico para a instituição de ensino, que pôde contribuir para a consolidação de um espaço de excelência para a saúde do Município. “A ativação desta unidade marca o início de uma série de ações decorrentes da implementação do Curso de Medicina, como a inserção de professores e alunos nos cuidados da saúde das crianças neste espaço e a implantação da residência em Pediatria”, afirmou, acrescentando que “a parceria tende a ser perene, com esforços conjuntos para a saúde da população e a formação de profissionais”.

ATENDIMENTO DE EXCELÊNCIA – Rafaga Nunes Fontoura, diretor-presidente da Fundação de Saúde Pública de Novo Hamburgo (FSNH), fez questão de citar o trabalho da equipe. “A estrutura mudou, mas a equipe é a mesma. Nossos profissionais vão além do prescrito, são incansáveis na busca de soluções. Hoje, a entrega da UTI também é um reconhecimento, o coroamento do trabalho de cada um. E ficamos felizes em poder oferecer mais ferramentas e estrutura necessária para que continuem este trabalho maravilhoso”, disse Fontoura.

Já o vice-prefeito dr. Antônio Fagan destacou a importância de um planejamento familiar e um pré-natal muito bem-feito para que não se precise utilizar a UTI Neonatal, deixando-a somente para urgência e emergência. “Precisamos fazer com que as pessoas tenham consciência da importância do pré-natal, pois não é mais admissível gestantes com sífilis, uma doença que se trata com três injeções. Nossas unidades de saúde oferecem exames e testes rápidos, podemos mudar esta situação.”

A UTI Neonatal, que integra a Rede Cegonha, é dividida em três unidades: Terapia Intensiva (10 leitos), Cuidado Intermediário Convencional (10 leitos) e Cuidado Intermediário Canguru (5 leitos). As Unidades recebem RNs considerados de alto/médio risco, os quais necessitam, na maioria das vezes, aguardar recuperação nutricional e maturidade pulmonar ou neurológica. Os bebês que utilizam o espaço são de partos realizados no Hospital Municipal e também vindos de outras cidades, seguindo regulamentação e direcionamento da Central de Leitos do Estado.

Estrutura

  • – Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) – 10 leitos
  • – Unidade de Cuidado Intermediário Convencional (UNINCA) – 10 leitos
  • – Unidade de Cuidado Intermediário Canguru (UNINCO) – 5 leitos
  • – Posto de enfermagem
  • – Área para registro de pacientes
  • – Sala de isolamento
  • – Quarto de plantonistas
  • – DML
  • – Sala de equipamentos e materiais
  • – Sala de utilidades
  • – Copa de funcionários
  • – BWC de acompanhante
  • – Sala de utilidades
  • – Sala administrativa
  • – Vestiário funcionários
  • – Banheiros
  • – Circulação

Em números

  • Área atual – 356,28 metros quadrados, 261% a mais que a área antiga, de 136,49 metros quadrados.
  • Capacidade de leitos – 25 leitos. Terapia Intensiva (10 leitos), Cuidado Intermediário Convencional (10 leitos) e Cuidado Intermediário Canguru (5 leitos).
  • Investimentos: R$ 1.295.110,59, sendo R$ 818.780,00 do governo federal, R$ 208.179,09 dos cofres municipais e R$ 268.151,50 da Universidade Feevale, que repassou o valor para a aquisição de mobiliário, painéis de gases, Sistema IT-Médico, instalações de telecom, elétrica e esperas de câmeras.
  • Equipe: 22 neonatologistas, 3 fisioterapeutas, 1 fonoaudióloga, 4 enfermeiras e 40 técnicos de enfermagem, cirurgiões, cardiologistas, oftalmologistas e ecocardiografistas com especialidade em neonatologia.

O Hospital Municipal se tornou referência de Gestação de Alto Risco para 21 municípios: Araricá, Cambará do Sul, Campo Bom, Dois Irmãos, Estância Velha, Igrejinha, Ivoti, Lindolfo Collor, Morro Reuter, Nova Hartz, Novo Hamburgo, Parobé, Presidente Lucena, Riozinho, Rolante, Santa Maria do Herval, São Francisco de Paula, São José do Hortêncio, Sapiranga, Taquara e Três Coroas.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar