Publicidade
DestaqueSão LeopoldoVale do Sinos

Guarda Civil de São Leopoldo resgata filhote de arara

Um filhote de arara da espécie canindé foi entregue na sede do Grupamento de Defesa Ambiental (GDA), da Guarda Civil Municipal (GCM), na segunda-feira, 21 de outubro. A pessoa que resgatou o animal preferiu não se identificar.

A ave foi encaminhada para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais e Renováveis (IBAMA) em Porto Alegre. O setor é responsável por recepcionar, triar e tratar os animais silvestres resgatados, ou apreendidos pelos órgãos fiscalizadores e reinseri-los na natureza.

O inspetor responsável do GDA, Nilton César de Oliveira, falou que o animal não apresentava sinais de ferimentos nem de maus tratos. “A moradora encontrou o animal, e entregou espontaneamente na nossa sede, no Parque Imperatriz. Conforme a legislação ambiental quem faz a entrega voluntária de um animal silvestre, não é multado”, explicou.

E ainda de acordo com o inspetor o caso muda com relação a animais em cativeiro. “A lei Nº 9.605 estabelece que matar perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente é considerado crime”, ressaltou.

Arara-canindé
O animal popularmente conhecido arara-amarela costuma fazer seus ninhos em buracos no tronco, onde põem seus ovos. Os filhotes permanecem no ninho até a décima terceira semana. É capaz de voar longas distâncias durante o dia. Basicamente se alimenta de frutas, sementes e nozes.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar