Novo Hamburgo

1º Seminário de Justiça Restaurativa forma voluntários do curso de capacitação

Evento foi no Salão de Atos da Feevale e teve na programação atrações culturais e palestras

Ocorreu nesta sexta-feira, 01 de novembro, o 1º Seminário de Justiça Restaurativa do Município de Novo Hamburgo. O evento, realizado no Salão de Atos da Universidade Feevale, no Campus II, celebrou a formatura dos voluntários dos cursos de capacitação para o Programa Municipal de Pacificação Restaurativa, o “Restaura NH”, além de apresentações culturais e a realização de palestras com o professor Guilherme Nogueira, que abordou os benefícios da prática dos círculos de construção de paz à luz da neurociência, e com o desembargador Leoberto Brancher, que expôs sobre a justiça restaurativa no estado do Rio Grande do Sul.

A prefeita Fátima Daudt e o secretário municipal de Segurança, general Roberto Jungthon participaram da entrega dos certificados aos alunos do curso. “Estamos no caminho certo, ainda há muito o que ser restaurado, mas estamos mostrando que é possível existir menos conflitos, seguimos em frente”, disse a prefeita.

Publicidade

A Juíza da Vara da Violência Doméstica, Dra. Andrea Hoch Cenne, representando o Poder Judiciário – Juizado da Infância e Juventude e a Justiça Federal – apresentou uma retrospectiva sobre a justiça restaurativa. “Em 2014, o nosso Tribunal de Justiça aprovou um projeto-piloto para que a justiça restaurativa fosse difundida em várias unidades do estado. Foram 24 unidades, as primeiras em Novo Hamburgo, então, o Juizado de Violência Doméstica foi contemplado, no ano de 2015. Foi o primeiro Juizado de Violência Doméstica no país a implementar as práticas restaurativas, o que nos tornou referência a nível nacional, reconhecido pelo CNJ.

Visando difundir a justiça restaurativa, e fortalecer a cultura da paz, essa proposta de criação de uma política pública municipal restaurativa, contou com o apoio do secretário municipal de Segurança, Roberto Jungthon, e foi acolhida pela prefeita Fátima Daudt, o que resultou na criação da lei municipal que criou o programa”.

“A lei 3.133/2018 institucionalizou o Programa Municipal de Pacificação Restaurativa, o “Restaura NH”, e neste ciclo de entregas sucessivas, por intermédio da participação da Ajuris, realizamos a capacitação de 100 alunos no curso de Justiça Restaurativa, para trabalharem voluntariamente nas redes de pacificação no município”, destaca o secretário de Segurança, Roberto Jungthon.

Publicidade

O Núcleo de Justiça Restaurativa, implementado a partir do Programa Municipal de Pacificação Restaurativa, está sediado na Rua Buenos Aires, 217, no bairro Santo Afonso. Mais informações podem ser obtidas no telefone (51) 3097-1221.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar