Caxias do SulDestaque

Prefeito facilita serviço de táxi em Caxias do Sul

Alterações na legislação preveem fim da jornada de trabalho, possibilidade de descontos, punição em casos de agressões, entre outros

O prefeito Daniel Guerra sancionou a Lei Nº 8.451 que flexibiliza e dispõe sobre as normas para exploração do serviço de táxi em Caxias do Sul. De iniciativa da Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMTTM), o novo regramento extingue a obrigatoriedade de jornada mínima de trabalho, permite a negociação de descontos entre taxistas e passageiros, transportes de animais, nova categoria de automóveis, punição em casos de agressão, entre outros pontos. O texto, aprovado por unanimidade pela Câmara de Vereadores e sancionado sem veto do prefeito, foi publicado na edição desta sexta-feira (22/11) do Diário Oficial Eletrônico (DOE).

As alterações, segundo o titular da SMTTM, Cristiano de Abreu Soares, buscam facilitar o dia a dia do trabalho dos taxistas e permitir melhores condições de prestação do serviço na cidade. Uma das principais mudanças previstas na lei é o fim da jornada mínima de 12 horas de trabalho de segunda a sábado e de oito horas aos domingos e feriados, conforme previsto no regramento anterior, de 2014. O artigo que previa essa carga horária foi revogado, ou seja, desobrigando os condutores a prestarem o serviço em períodos estabelecidos.

Publicidade

“A demanda pelo transporte individual de passageiros mudou muito nos últimos anos. Com isso, é fundamental que o poder público procure meios de atualizar as leis para o cenário atual e permitir que o serviço possa seguir sendo realizado plenamente à comunidade. Não faz sentido que a secretaria de Trânsito tenha que controlar a carga horária do taxista e nem que obrigue o profissional a permanecer em atividades quando não há demanda”, destacou Soares.
Outras obrigatoriedades foram eliminadas pela nova lei. Entre elas, a comprovação de Ensino Fundamental completo, item exigido na renovação anual do cadastro junto à SMTTM; além da exigência de ter um automóvel com motor 1.4 para atuar na categoria executivo, já que não existem veículos com configurações 1.3 com potência igual ou superior. A exigência será apenas para que os veículos tenham, no mínimo, 88 CV (cavalos de potência). O transporte de animais de pequeno e médio portes poderão ser realizados a critério do profissional. Animais de grande porte ficam proibidos.

Outra padronização prevista na lei atual é que as corridas de táxi possam ser realizadas por meio de plataformas eletrônicas, como aplicativos. Essa prática já vinha sendo realizada pelo serviço, mas a partir de agora fica regularizada e prevista no regramento. Outra possibilidade é a negociiação de descontos entre os taxistas e passageiros. Na lei anterior, a prática era proibida. Para os veículos adaptados para pessoas com deficiência, as faixas serão na cor verde, que serão substituídas conforme a renovação veicular.

Sobre as punições em caso de agressões físicas e verbais envolvendo taxistas, passageiros ou outros profissionais, a lei prevê a suspensão ou cassação do prefixo e o descadastramento do condutor ou do motorista auxiliar de táxi acusado de ter cometido a infração. Antes, entretanto, será aberto processo administrativo que permita a ampla defesa.

Publicidade

Há 46 anos trabalhando nas ruas como taxista, Romeu Benedetti aprovou as mudanças. “Agora eu posso escolher até que horas fico na rua. Se não tem movimento, é melhor encerrar do que ficar aguardando passageiro. Acho bastante válido”, contou ele.

Atualmente, Caxias conta com 308 táxis.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar