DestaqueRS

Igreja Matriz e Mercado Público de Jaguarão são restaurados

Nos próximos dias, a população de Jaguarão receberá o resultado de duas importantes obras de restauração: a Igreja Matriz do Divino Espírito Santo e o Mercado Público Municipal. Juntas, elas somam investimentos de R$ 13,5 milhões advindos do Governo Federal, por meio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), gerando benefícios para toda a região.

A primeira a ser entregue será a restauração e ampliação da Igreja Matriz do Divino Espírito Santo, localizada na Praça Dr. Alcides Marques. Todo o templo recebeu intervenções, com a recuperação de toda a parte interna, altares e áreas administrativas, além da construção de um novo salão paroquial e memorial histórico. A obra foi executada pela Prefeitura Municipal e teve o apoio da Paróquia do Divino Espírito Santo, recebendo recursos de mais de R$ 8 milhões do Iphan.

Construída em estilo eclético, em 1846, a Igreja Matriz é um dos marcos no núcleo formador de Jaguarão. Após três anos fechada para as obras de restauração, será reaberta ao público amanhã (20), às 20h, em evento com extensa programação religiosa e cultural, incluindo apresentações musicais e uma benção no local. Para encerrar a solenidade, os sinos da Igreja serão tocados ao mesmo tempo que os das demais capelas ao Divino Espírito Santo na região.

Já no dia 26 de dezembro será a vez de o Mercado Público reabrir as portas. A edificação de estilo colonial, construída entre 1864 e 1867, é representativa do assentamento urbano no território de fronteira, já que se encontra em local estratégico na divisa entre o Brasil e o Uruguai, e foi, durante anos, símbolo do comércio entre os dois países. A obra de restauração contemplou todo o edifício, com a realização de serviços como restauro das coberturas e dos forros, pintura geral, estabilização estrutural e a implantação de um Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio e de Sistema de Proteção contra descargas atmosféricas.

A obra, executada pela Prefeitura Municipal, com recursos de R$ 5,3 milhões do Iphan, também propõe a retomada dos usos do local, com a instalação de restaurantes e lojas de artesanato e outros produtos. Ao todo, são sete espaços disponíveis para comercialização, sendo que três deles já estarão ocupados no dia da reabertura do Mercado. A proposta é que, assim, o espaço retome sua importância na dinâmica econômica e cultural da cidade, atraindo moradores e turistas para a região do Centro Histórico.

Investimentos no Patrimônio Cultural

O conjunto histórico e paisagístico de Jaguarão é protegido pelo Iphan, por meio do tombamento, desde 2011. Ele inclui uma série de edificações, a exemplo do Mercado e da Igreja Matriz, que vêm sendo conservadas como parte do simbólico Patrimônio Cultural Brasileiro no Rio Grande do Sul, representativas da história e da formação do Estado. Nesse sentido, nos últimos anos, o Iphan tem feito uma série de investimentos no local, somando recursos de R$ 14,3 milhões já investidos em obras e projetos. Além das duas obras que estão sendo concluídas agora, o Teatro Esperança também foi restaurado pela instituição. No Estado como um todo, esses recursos já alcançam quase R$ 38 milhões, incluindo intervenções nas cidades de Porto Alegre, Pelotas e São Miguel das Missões.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar