Publicidade
DestaqueRegião MetropolitanaSaúdeVale do Sinos

Serviço de Tisiologia atende 600 pessoas por mês, em Canoas

O Programa Municipal de Controle da Tuberculose situa-se na rua Araçá, 74, e está aberto das 8h às 17 horas

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a tuberculose é a doença infecciosa que mais mata no mundo, resultando na morte de um milhão de pessoas a cada 10 milhões de diagnósticos por ano. Em Canoas, a doença secular possui uma taxa de incidência por 100 mil habitantes de 59,1% (13,7% a mais do que a média estadual), segundo dados divulgados pela Vigilância Epidemiológica do Município. Para reduzir o número de casos na cidade, o Programa Municipal de Controle da Tuberculose faz, em média, 600 atendimentos por mês, atuando na prevenção e no combate à doença.

A forma mais comum da tuberculose se dá nos pulmões, mas ela pode afetar qualquer parte do corpo, como os rins, ossos, sistema nervoso e outras. Tosse com ou sem escarro (catarro), perda de peso, suores à noite, emagrecimento rápido são alguns dos principais sintomas. Qualquer pessoa pode desenvolver a doença, já que a transmissão ocorre pelo ar, através da tosse, da fala ou do espirro. Porém, indivíduos mais vulneráveis como moradores de rua, privados de liberdade, alcoolistas, transplantados, diabéticos, pessoas vivendo com HIV (PVHIV) e Aids ou com sistema imunológico comprometido estão em maior risco.

“Qualquer pessoa com estes sintomas deve procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de sua casa ou o serviço de referência de Canoas”, alerta Michele Araújo, enfermeira gestora técnica do Programa Municipal de Controle da Tuberculose. “Uma equipe constituída de médico, enfermeiros e técnicos de enfermagem qualificados investiga sintomáticos respiratórios através do exame de escarro, Raio-X, dentre outros exames”, complementa a mesma.

A incidência de cura de casos novos diagnosticados no município corresponde a mais de 70%. Desde que tratados adequadamente e acompanhados pelo serviço de Tisiologia, a medicação é gratuita e o tratamento dura no mínimo seis meses. A maior dificuldade, segundo a enfermeira Michele, é com a adesão ao tratamento de indivíduos em situação de rua, alcoolistas, drogaditos, dentre outros. Para isso, a equipe tem como desafio o enfrentamento com o objetivo de monitorar esses casos buscando evitar o abandono. Nos últimos cinco anos, a incidência de casos de alta por abandono foi significativa em Canoas, cerca de 11% dos casos.

O Programa Municipal de Controle da Tuberculose situa-se na rua Araçá, 74, no Centro de Canoas e está aberto das 8h às 17 horas, de segunda à sexta-feira. Não é necessário solicitação médica para fazer o exame de escarro. Demais informações podem ser conferidas através do telefone (51) 3477-3349.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar