DestaqueRio Grande do Sul

As determinações da calamidade pública em São Borja

Na manhã desta sexta-feira (20), o prefeito de São Borja, Eduardo Bonotto, assinou o decreto nº 18.394, que declara estado de calamidade pública no município. A iniciativa faz parte das medidas de prevenção contra a propagação do coronavírus (Covid-19), e auxiliam no enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do surto epidêmico.

Nos últimos dias, diversas medidas e recomendações estão sendo feitas por meio do Diário Oficial do Município incluindo a suspensão das aulas municipais, o fechamento de estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, à exceção de farmácias; clínicas de atendimento na área da saúde; mercados e supermercados; restaurantes, bares, padarias e lancherias até as 18h; postos de combustíveis, desde que não sejam comercializadas bebidas alcoólicas; agropecuárias e demais estabelecimentos de venda de produtos animais, agrícolas e de assistência técnica, peças e manutenção de equipamentos; bancos, instituições financeiras e lotéricas; e locais privados de imprensa.

Além disso, a determinação prevê que os estabelecimentos autorizados a funcionar adotem, de forma preferencial, o sistema de entrega em domicílio de seus produtos, a fim de evitar, na medida do possível, aglomeração de pessoas.

O decreto prevê ainda a determinação do cancelamento das missas, cultos e grupos de orações, em todas as denominações religiosas. E a recomendação da proibição de circulação pública para pessoas que se enquadrem no grupo de risco, exceto por motivo de saúde pública ou por necessidades de acesso aos serviços essenciais.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo